Mídias Sociais

Cidades

Campos dos Goytacazes recebe família de refugiados da Venezuela

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Um casal de venezuelanos foram os primeiros a chegar à cidade, e até sexta-feira (19), está previsto o desembarque de mais oito pessoas da mesma família.

Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, começou a receber nesta quarta-feira (17), refugiados da Venezuela, na América do Sul. A imigração acontece por meio do "Programa Mãos que Ajudam" da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Um casal de venezuelanos foram os primeiros a chegar à cidade, e até sexta-feira (19), está previsto o desembarque de mais oito integrantes da família Zapata em solo campista.

A crise migratória da Venezuela soma mais de 2,3 milhões de migrantes que fogem da pobreza, da hiperinflação, da falta de serviços públicos e da escassez de bens de primeira necessidade.

Os refugiados ficarão em duas casas alugadas no bairro Parque Luz. Todos os membros da família (dois idosos, quatro adultos, um jovem e três crianças) estão legalizados e com visto para trabalho no município.

Voluntários preparam festa de boas-vindas para os imigrantes.

Nesta quarta-feira (17), alguns dos voluntários fizeram limpeza e arrumações nas duas casas para receber os refugiados. Além disso, está sendo organizada uma festa de boas-vindas para os imigrantes.  Os voluntários ressaltam que entre os principais objetos necessários para a doação estão: colchões, alimentos, cama, guarda-roupa, roupa de cama e banho e ventilador.

Os organizadores já alugaram duas casas, que estão sendo mobiliadas. As crianças da família também já foram matriculadas em escolas municipais. “A igreja arca com alimentos, o aluguel das casas por alguns meses e contamos com o apoio da comunidade para montar as casas”, afirmou Ana Paula Caputo, diretora de Assuntos Públicos da Igreja.

O projeto tem apoio da ONG e do governo federal e tudo começou em Roraima (Norte do país), onde foi criada uma missão humanitária em Boa Vista, com o intuito de legalizar esses refugiados e também recepcioná-los. Através do programa, várias pessoas têm sido direcionadas para diversas cidades do Brasil.

 

*Com informações do Ururau


 

Mais lidas do mês