Mídias Sociais

Caderno D

Toda a versatilidade do artista plástico Luciano Pauferro contada em três galerias do Centro Macaé de Cultura

Avatar

Publicado

em

 

Quem acompanha o Caderno D, sabe que em Macaé, o que vem crescendo e muito, são os espaços que fomentam a cultura. Seja de forma itinerante, ou em espaços públicos, a cidade vem respirando ares mais alegres, com mais cores e valorizando as pessoas que vivem ou que dedicam boa parte de seu tempo repassando conceitos importantes sobre arte. Um espaço que é muito importante para o segmento é a Galeria de Arte Hindemburgo Olive, que fica no Centro Macaé de Cultura. O lugar recebe exposições de artistas locais o ano inteiro e é de fácil acesso, localizado bem no coração da cidade. Além das exposições que surgem, uma permanente faz parte da Galeria. Nomes importantes já passaram por lá e deixaram um verdadeiro legado para o acervo de arte de Macaé. Roberto Burle Marx, Maria Klonovska, Eto Cardin, Beatriz Mignone, Portinari e Ariadne Decker são alguns dos nomes que representam essa exposição fixa, que está ao alcance de todos durante toda a semana, até as 19h.

Desta vez, além de contar um pouquinho sobre o espaço, viemos divulgar o trabalho do artista plástico Luciano Pauferro, que está com uma belíssima exposição Ritmos das Cores, que está na Galeria das 8h as 18h.

Luciano é professor de artes plásticas em Macaé e já participou de inúmeras exposições. Mas sua carreira começou, digamos, ainda menino, pois sua habilidade para a pintura, vem desde os seus dez anos de idade. Seu estilo de pintura é único e foi criado por ele mesmo. Denominado como Lume, o estilo foi criado a partir de uma técnica também criada pelo artista, onde quadros bem alegres contrastam com fundos espatulados, e geralmente sua inspiração vem da nossa cultura popular. O artista se considera versátil, já que pinta de tudo um pouco e foi convidado para expor sua arte nas três galerias que fazem parte do espaço no Centro Macaé de Cultura. “Em uma galeria eu coloquei mais o meu estilo Lume. Lume com barcos, com pescadores, Lume com lavadeiras, com barquinhos de papel. Na segunda galeria, eu usei uns temas de Macaé e do Rio , onde eu retrato paisagens e temas daqui. E na última galeria eu fiz um apanhado geral com nú artístico e negras.”Explica Luciano.

Brasília, São Paulo, Salvador, e até fora do país, em Nova York, foram alguns dos lugares onde a arte de Luciano Pauferro já passou. “A coletiva em Nova York eu fui para passar quinze dias e precisei ficar mais dez dias para preparar uma outra coletiva em outra região dos EUA. Depois que eu voltei de lá, eu não quis voltar para a minha cidade natal, que é a Bahia. Eu já havia sido convidado para conhecer Macaé com uma das minhas exposições e a partir disso eu fui ficando.” Comenta o artista.

O número de telas apresentadas impressiona e as cores mais ainda. A cada passo pela exposição, é fácil ficar deslumbrado com tamanha harmonia das cores. O grafismo apresentado é de saltar os olhos e vale muito uma visita. É, realmente, uma exposição incrível, onde muitas técnicas e estilos, se reúnem em obras dignas de muitas premiações. “O que está acontecendo na exposição é um pouco até de briga, porque um quer um quadro, aí aparece uma outra pessoa e vai lá e disputa. Eu tive até que separar uma briga um dia desses. Mas tá legal, os ânimos foram acalmados e todo mundo saiu feliz. Pelo menos uns cinco ou seis quadros foram substituídos, o que é ótimo.” Finaliza o artista.

A exposição ainda não tem data para encerrar, mas a previsão é que permaneça até a semana que vem. O Centro Macaé de Cultura fica na Avenida Rui Barbosa, 780, no Centro de Macaé. Para mais informações, basta entrar em contato pelo telefone: (22) 2759-0889.

Mariana Abrantes

Mais lidas da semana