Mídias Sociais

Caderno D

AME André : Grupo Mães do Bem de Macaé promovem neste sábado evento beneficente

Avatar

Publicado

em

 

Ação será no Restaurante Dona Eurice, na Glória, e toda renda arrecadada será revertida à campanha de  André Arndt Godoi, portador de doença degenerativa

Daniela Bairros

A luta pela vida do bebê André Arndt Godoi, de apenas oito meses, tem atraído, cada vez mais, pessoas solidárias à causa. Até mesmo famosos, como o humorista Paulo Gustavo e o jogador Robinho, Zico e até mesmo cantores internacionais.  Todos sensibilizados e participantes de ações para arrecadação de recurso financeiro.

E para a corrente aumentar ainda mais para que esse bebê viva, cada dia mais lindo, o Grupo Mães do Bem, recentemente criado em Macaé para ajudar o André, promove neste sábado, dia 1º, evento beneficente. Será no Restaurante Dona Eurice, no bairro da Glória, das 11h às 16h.  Cerca de 20 mães, segundo a idealizadora do grupo, Ariadne Rocha da Silva, de 29 anos, estão unidas em prol da causa do pequeno André. Até agora, aproximadamente, 700 pessoas confirmaram presente no evento deste sábado. “Já recebemos muitas doações de roupas, brinquedos. A população de Macaé está mobilizada pela causa e vamos conseguir. E vamos cada vez mais fomentar a campanha”.

No evento, será vendido almoço a R$ 20, contando também com bazar infantil, Cantinho da Mamãe (venda de lingeries), sorteios e rifas, espaço kids, com contação de histórias. Às 15h, apresentação da Cia Chirulico.

O pequeno André foi diagnosticado aos três meses de vida com AME (Atrofia Muscular Espinhal) Tipo 1. Primeiro, André perdeu os movimentos dos pés, depois das pernas, e atualmente, precisa da ajuda de aparelhos para respirar.  Segundo a mãe de André, Juliane Suelen Arndt de Godoi, de 31 anos, o bebê estava internado desde 13 de janeiro e teve alta na última quarta-feira (29). Em casa, a mãe “guerreira” de André afirmou que ele está bem e se adaptando ao tratamento.

A fraqueza muscular é o principal sinal da doença. Caso a criança tenha dificuldade em manter-se sentada, é importante fazer um teste genético para o diagnóstico da doença.

Segundo especialistas, com o tratamento, aumentam as chances de o bebê conseguir se sentar, deglutir com facilidade e manter a cabeça em pé sem apoios.

O tratamento é o principal desafio devido ao alto custo do medicamento, que precisa ser importado dos Estados Unidos e chega a R$ 3 milhões em um ano. A família do bebê criou uma varquinha virtual (vakinha.com.br Ame Andre.). As doações podem ser feitas também pelo site www.ameandre.com.br .  Até essa sexta-feira (30) já havia sido arrecadado R$ 848.091,35.

Entre você também nesta corrente do bem. As doações podem ser depositadas na conta:

Caixa Econômica Federal

Agência 0184

Operação: 001

Conta Corrente: 30639-8

CPF: 016.285.586.95

Beneficiário: Wanderson Teixeira de Godoi

 

Crédito: Arquivo pessoal

 

 

 

 

Mais lidas da semana