Mídias Sociais

Esporte

Organizada do Vasco invade treino no CT para cobrar o elenco e o técnico Ricardo Sá

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

Inconformada com a péssima fase vivida pela clube, uma das organizadas do Vasco invadiu o treino desta quinta-feira para cobrar os jogadores e o técnico Ricardo Sá Pinto. O português não se escondeu e tomou a frente da conversa com os torcedores, mas o tom não foi dos mais amenos. Além do treinador, Talles Magno e Leandro Castan foram os principais alvos.

Ricardo Sá reforçou o comprometimento dos jogadores. "Pela minha felicidade e digo de coração: não vejo essa gente a facilitar em nada. Durante a semana no trabalho, na alimentação, no descanso e na vida privada. Tenho um grupo fantástico. Eu sou o máximo responsável. Quando eu não tiver condições (de salvar o time da Série B), sou o primeiro a ir embora. A gente tem condições. Calma, calma, calma. Há um conjunto de fatores que não tem sido favorável a nós. Muitos jogos que a gente não tem ganho demos muito azar, foram em detalhes. Tem a ver com coisas do jogo", afirmou o português.

Os torcedores questionaram também o fato de Talles Magno ter sido diagnosticado com a Covid-19 mais de uma vez. Entre as reclamações, sobrou também para o presidente Alexandre Campello, bastante criticado durante o encontro.

Por meio do Instagram, a organizada Ira Jovem afirmaram que a invasão foi uma visita surpresa. "Apoiamos, avisamos e cobramos. Vocês não nos deram ouvidos e fugiram do maior patrimônio, que somos nós, a torcida. Hoje, fizemos uma visita surpresa no Ct. Galinha de casa não se corre atrás", disse a organizada.

A diretoria do Vasco chegou a se posicionar publicamente a respeito da invasão.

"Nesta quinta-feira (10/12), integrantes de uma torcida organizada invadiram o CT do Almirante durante o treinamento do time profissional. O Club de Regatas Vasco da Gama compreende a insatisfação de seus torcedores e entende que os resultados em campo estão aquém do esperado, mas é absolutamente injustificável que jogadores e comissão técnica sejam ameaçados e intimidados em seu local de trabalho. O futebol brasileiro já deu inequívocas provas de que este tipo de ação, além de ilegal, não surte qualquer efeito prático positivo. Providências já foram tomadas para que episódios como o desta quinta não voltem a se repetir. O Vasco reafirma que atletas, comissão técnica e diretoria estão comprometidos e empenhados em reverter a situação no Campeonato Brasileiro", disse o clube.

Foto: Rafael Ribeiro

Mais lidas da semana