Mídias Sociais

Destaque

Mecânico que morreu em plataforma na Bacia de Campos pregou em culto a bordo dois dias antes do acidente. Assista:

Bertha Muniz

Publicado

em

 

O mecânico de guindaste Sandro Ferreira da Silva, morto durante um acidente na plataforma fixa PNA-2, da Petrobras, localizada no Campo de Namorado, na Bacia de Campos, na tarde deste domingo (25), havia feito uma pregação na sexta-feira (23), dois dias antes da tragédia que ceifou sua vida.

Durante um culto realizado a bordo, Sandro pediu aos presentes que adorassem a Senhor. Em seguida, cantou e tocou em seu violão a música “Lindo És”. Um dos trechos da canção evangélica diz “Me leva à sala do trono, mostra a Tua beleza, quero ver Tua face”.

Funcionário da empresa RIP Kaeter, Sandro realizava manutenção em um guindaste por volta das 14h30, quando, de acordo com as informações iniciais, teria sido esmagado pelo equipamento. O embarque do corpo do trabalhador deve ocorrer no final da tarde desta segunda-feira (26), e ainda será confirmado pela Petrobrás.

A família do petroleiro, que mora em Marataízes (ES), só foi comunicada oficialmente por representantes da empresa RIP Kaeter por volta das 21h de ontem. Trabalhadores que estavam na plataforma, mas não quiseram se identificar, informaram que Sandro não queria fazer a manutenção do guindaste, pois o vento estava acima de 30 nós (uma unidade de medida de velocidade equivalente a uma milha náutica por hora), mas foi orientado a fazer o trabalho mesmo assim. Ainda segundo trabalhadores, Sandro desembarcaria hoje (25), e receberia uma promoção pelo mérito do trabalho desenvolvido.

Embora não represente os empregados da RIP Kaeter, O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) informou que está atuando no caso desde que foi informado da morte e está à disposição dos familiares e colegas de trabalho do petroleiro. A entidade orienta a categoria a enviar informações sobre as condições de segurança na PNA-2 e em outras áreas operacionais para denuncia@sindipetronf.org.br.

"Os petroleiros, independentemente da empresa em que atuem, são os nossos olhos a bordo e nas bases de terra. E são eles que mais conhecem a realidade. Por isso é muito importante que mantenham o sindicato atualizado sobre as condições de trabalho. Vivemos um momento grave de perda de direitos e isso tem um grande impacto na segurança. Cada vez mais trabalhadores estão sendo tratados como números, como peças que podem ser trocadas, e não podemos jamais admitir isso", afirmou o coordenador geral do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra, que deve embarcar ainda hoje na plataforma PNA-2, para atuar na comissão que investiga o acidente.  A Polícia Civil e a Marinha já embarcaram para a plataforma, onde as atividades foram suspensas. Assista ao vídeo onde Sandro aparece pregando em um culto a bordo, dois dias antes de sua morte:


 

Mais lidas do mês