Mídias Sociais

Política

Vereadores governistas trocam farpas em debate na Câmara Municipal de Macaé

Avatar

Publicado

em

 

Na manhã desta quarta-feira, 23, a Câmara Municipal de Macaé foi palco de embate entre vereadores da base governista, e até de declarações fortes sobre votos políticos e votos por convicções pessoais.

Em sua fala no Grande Expediente, o vereador Val Barbeiro (PODE) defendeu o governo de críticas feitas pelo oposicionista, Robson Oliveira (PSDB), de que o município estava em falta com políticas sociais.

Na terça-feira, 22, o parlamentar tucano havia criticado o funcionamento do Centro Pop, que atende pessoas em situação de rua e migrantes, com oferta de diversos serviços, e que funciona no centro da cidade.

Nesta quarta, Val questionou as falas do colega de plenária na manhã anterior e reforçou que o Centro Pop está funcionando normalmente, atendendo a população carente do município, mas colocou como foco principal do debate o consumo de drogas pela população carente do município.

O posicionamento, porém, desagradou ao vereador do PSDB, que cutucou Val, mas também ao vereador governista, Dr. Márcio Bittencourt (MDB), que alfinetou o parlamentar do PODE citando os famosos “cafezinhos”, supostos encontros entre vereadores e o prefeito, Dr. Aluizio (sem partido), que serviriam para que parlamentares negociassem favores em troca de posicionamento de bancada.

O ataque irritou os 2 vereadores. Enquanto Val disparou contra o emedebista, dizendo que ele “vive no gabinete do prefeito”, Dr. Márcio Bittencourt avisou que não vai ao gabinete e “só encontra com o prefeito no HPM (Hospital Público Municipal)”, não gosta de café, e mesmo governista, “nunca votaria contra os servidores”, provocando risos em alguns parlamentares.

Todavia, o ponto alto do embate aconteceu quando Val confessou que é contra as propostas do governo do Bolsa Falta Zero e Bolsa Ideb, que criam um 14º e um 15º salário para servidores que, respectivamente, não faltarem durante 1 ano, e estiverem lotados em escolas que conseguirem aumentar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

“Eu fiz um voto político. Se me perguntar pessoalmente, ao Val, eu sou contra, mas votei junto com o governo. Agora, eu sou contra 14º, 15º salário, porque eu acho que governo nenhum dá conta disso”, afirmou Val Barbeiro, que votou favorável, nesta terça, ao projeto de lei que propunha os 2 benefícios.

Com 6 emendas, o projeto de lei foi aprovado por unanimidade dos presentes nesta terça, na Câmara, e agora cabe ao Executivo apreciar a matéria modificada pelo Legislativo antes de decidir se vai sancionar ou vetar, parcial ou totalmente o texto.

Mais lidas da semana