Mídias Sociais

Política

Vereadores de Macaé denunciam ligação entre políticos e criminosos às vésperas das eleições gerais

Publicado

em

 

À esquerda na foto, vereador Marcel Silvano (PT) denunciou ligação de candidatos com criminosos em comunidades de Macaé para impedir campanha de concorrentes

Em manifestação divulgada no fim da tarde da última terça-feira, 2 de outubro, a Câmara Municipal de Macaé repudiou a ação de políticos em comunidades da cidade, impedindo que outros candidatos possam fazer campanha livremente.

A denúncia foi feita pelo vereador Marcel Silvano (PT), que durante o Grande Expediente, criticou colegas vereadores que, como ele, postulam uma vaga na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) nas eleições deste ano, e estariam, ligados à agentes do tráfico de drogas, impedindo que outros candidatos possam entrar nas comunidades.

“Fui informado de que só poderiam entrar os candidatos que pagassem uma taxa. Fiquei ainda mais horrorizado com a possibilidade de alguém ajudar a financiar o crime organizado dessa maneira”, declarou Marcel, que disse ainda que entraria com ações na Justiça contra os parlamentares, sem revelar os nomes.

Situação semelhante teria acontecido com o vereador Val Barbeiro (PHS), também candidato a deputado estadual, que também revelou ter sofrido represálias em comunidades onde outros políticos teriam influência.

“Em uma ocasião, fui impedido de panfletar nas ruas e, em outra, arrancaram os adesivos do meu carro para que eu pudesse entrar em certa comunidade”, contou Val.

A denúncia do vereador do PT, uma nota de repúdio aos acontecidos foi aprovada em plenário. Na nota, a Câmara defende a livre manifestação dos candidatos para que o processo eleitoral ocorra no próximo domingo, 7.

“Cumprindo o papel de zelar pela democracia e pela livre manifestação e escolha do cidadão por seus candidatos, o Poder Legislativo vem a público repudiar a prática política que busca, pelo poder econômico, impedir o livre trânsito de candidatos e cidadãos a regiões que sofrem a influência de facções criminosas. Essa prática política de aliar candidatos e crime dá resultados muito negativos para toda a sociedade. Prejudica qualquer debate sobre direitos de cidadania, em especial, a melhoria de condições de vida das populações mais pobres. Assim como inviabiliza qualquer política de superação da violência. O fato se torna mais grave quando um vereador em pleno exercício de seu mandato é impedido de acessar bairros do município. Essa situação é inaceitável! A Câmara Municipal de Macaé orienta cada eleitor, cada cidadão macaense a aprofundar suas análises e pesquisas sobre o histórico dos candidatos e a avaliar com muita atenção se o candidato em que pretende votar adota essa inaceitável prática”, concluiu o Legislativo.

Para o líder a oposição, vereador Maxwell Vaz (SD), é lamentável que candidatos tenham que pagar “pedágio” ao tráfico para conversar sobre suas propostas com os moradores das áreas de periferia.

“Isso é muito grave, pois impede o diálogo e a livre escolha da população”, advertiu Maxwell.


 

Mais lidas do mês