Mídias Sociais

Política

Vereadores de Campos aprovam mudança de horário das sessões ordinárias

Publicado

em

 

Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes terá novo horário para a realização das sessões ordinárias depois de proposta aprovada pelos vereadores

Os vereadores de Campos dos Goytacazes aprovaram, nesta última semana, proposta para mudança de horário das sessões ordinárias da Câmara Municipal, que a partir do dia 2 de maio, passarão a ser realizadas às terças e quartas, com início às 8h.

Segundo o Legislativo campista, a Mesa Diretora ainda pretende promover adequações de funcionamento para o período eleitoral, em outubro desse ano, e também durante a realização da Copa do Mundo, realizada de 14 de junho a 15 de julho.

Nas sessões desta semana, os vereadores aprovaram ainda projeto de lei de autoria do presidente da Casa, Marcão Gomes (PR), que declara de Utilidade Pública a Associação Beneficente Maria Auxílio dos Cristãos.

Ao todo, foram aprovados 39 processos de Requerimentos e 15 processos de Indicações Simples, além de uma Indicação Legislativa, além de projetos de lei e decretos legislativos, sobre os mais variados temas.

Os parlamentares campistas voltam a se reunir agora na próxima quarta-feira, 2, a partir das 8h, quando o novo horário das sessões ordinárias começará a vigorar.

Áudios vazados – Também nesta semana, dois áudios de vereadores de Campos vazados de grupos de WhatsApp deram o que falar na cidade. Os áudios foram divulgados na última quarta-feira, 25, no canal da revista Viu! no Youtube.

Num deles, o vereador Claudio Andrade (PSDC) exigiria que seus assessores e apadrinhados em cargos comissionados atualizassem suas respectivas páginas no Facebook a cada meia hora, compartilhando as postagens do parlamentar.

Em outro áudio, o vereador Marcelo Perfil (PHS), que também é diácono da 2ª Igreja Batista de Campos, queixa-se a um colaborador por não curtir sua página no Facebook, reclama das curtidas em páginas de adversários, e, em tom de ameaça, lembra que o colaborador tem parentes nomeados na prefeitura.

Na reportagem, a revista questiona as práticas dos dois parlamentares e lembra que cada um dos vereadores da cidade custa, me média, 100 mil reais por mês, totalizando um custo de 27 milhões de reais por ano.


 

Mais lidas do mês