Mídias Sociais

Política

Vereador Gugu de Nair atrasa o início de obras de interesse público na Avenida José Bento Ribeiro Dantas

Avatar

Publicado

em

 

A boa notícia de que finalmente o trecho do Trevo da Barbuda até a entrada da Tartaruga, na Avenida José Bento Ribeiro Dantas – alvo de reivindicação dos moradores em todos os governos passados corre o risco de não se tornar realidade a partir da decisão tomada pelo presidente em exercício da Câmara de Vereadores de Búzios, Gugu de Nair, nesta quinta-feira, dia 16.  Gugu devolveu o projeto de lei n° 0067/2016 encaminhado à Câmara pelo prefeito André Granado que solicitava a autorização do Poder Legislativo para que o Executivo abra crédito adicional especial de R$ 6.100,000,00   no atual orçamento  para atender ao projeto de infraestrutura urbana no município.

Entre os projetos está drenagem, pavimentação, calçadas e ciclovias na Avenida José Bento Ribeiro Dantas, no Trecho Trevo Barbuda até a Rua Satiro Coelho no Bairro Manguinhos, Avenida José Bento Ribeiro Dantas, no Trecho da Rua Satiro Coelho até a entrada da Tartaruga nos Bairros Manguinhos e Tartaruga provenientes dos Convênios celebrados com o Ministério das Cidades, através da Caixa Econômica Federal, Contratos nº(s) 1030426-53/2016, 1030541-94/2016, 1030267-75/2016, 1028889-22/2016 e 1029364-95/2016.

Gugu alegou durante a sessão que devolveria o pedido do Executivo para discussão na sessão seguinte, na próxima terça-feira (21), por, de acordo com ele, conter erros de trâmite - não tendo deixado claro aos presentes quais seriam os tais erros e, diante da importância do projeto, levantado questionamentos sobre quais seriam suas intenções com esse ato que pode até ocasionar a não realização de uma intervenção tão esperada pela cidade.

O projeto, que é feito a partir de uma indicação do vereador Zé Marcio (PMDB), irá oferecer mais segurança neste trecho da Avenida que sempre foi criticado pela população, que considera o local um dos mais perigosos pela falta de mobilidade para pedestres e ciclistas, há também reclamações constantes de pontos de alagamento. A água que vem do Alto de Búzios e outras áreas de morro às margens da Avenida acaba enchendo o local, o que mantém a via em constante estado de deterioração. Vai permitir também o ordenamento de residências e estabelecimentos comerciais. Os próprios proprietários demonstram-se favoráveis com a mudança no local por entenderem que a revitalização valorizará seus imóveis.


O vereador Messias Carvalho (PP) explicou que a decisão da presidência afeta todo o processo, já que a assinatura do convênio com a união tem que ser precedida pela autorização legislativa para abertura de um crédito especial do orçamento do município. “Como o município vai fazer uma obra em que essa verba não está publicada no Boletim Oficial? Tem que constar lá que a Câmara aprovou. Só assim pode-se assinar o convênio com a União e então começar todo o processo de licitação da obra, que tem um tramite pra empenhar valores, e só depois disso poder realmente começar. Se fosse publicado no boletim dessa semana tudo isso já poderia estar começando na próxima segunda feira. Mas ficando para próxima semana não sabemos quanto tempo poderá levar”, disse Messias.  
Parte dos vereadores presentes lamentou a decisão do presidente em exercício, lembrando a importância da obra e ainda ressaltando o fato de que essa decisão inesperada pode contribuir para a perda de prazos de execução ou que ao menos atrase o trâmite legal para a sua conclusão.

O trecho em questão é a principal via de entrada e saída para centro da cidade, local de passagem inevitável para moradores de tosos os bairros e também para os turistas.

Da redação

 

Mais lidas da semana