Mídias Sociais

Política

Vereador de São João da Barra teria recebido convite do próprio Governador do Rio para concorrer a prefeitura pelo PSC

Avatar

Publicado

em

 

Encontro entre os 2 teria acontecido no Palácio Guanabara, em reunião entre representantes do governo e do município.

Da Redação

 

Depois de receber a Prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), em seu gabinete, no Palácio Guanabara, para tratar de obras estaduais paradas no município, o governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), teria convidado o vereador Frank Areas (PL) para ser o nome do partido na próxima disputa municipal, em 2020.

Além da troca de partido, o parlamentar, que já teria, inclusive, sido lançado como pré-candidato a prefeito pelo ex-prefeito Betinho Dauaire, pai do deputado estadual Bruno Dauaire (PSC), teria ido ao Palácio Guanabara para tratar de assuntos de interesse do município, entre eles o avanço do mar em Atafona.

A informação foi divulgada pelo colunista do site Folha1, Arnaldo Neto, que teria revelado ainda que a reunião contou com a presença o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), os secretários estaduais de Governo, Gutemberg de Paula Fonseca, e de Desenvolvimento Econômico, Lucas Tristão, além de outro vereador de São João da Barra, Ediel Pedro (MDB).

Cerco – Nesta segunda-feira, 13, o Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ) autorizou a quebra de sigilo bancário do senador Flávio Bolsonaro, sua esposa e mais 88 ex-funcionários, entre eles seu ex-assessor, Fabrício Queiroz.

De acordo com a Coluna Painel, da jornalista Daniela Lima, publicada nesta terça-feira, 14, no jornal Folha de S. Paulo, a devassa nas contas do filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), teriam potencial “avassalador” conforme políticos e magistrados ouvidos pela colunista.

Além do mais, segundo o colunista Guilherme Amado, da Revista Época, a estratégia do MPRJ teria como objetivos descobrir fluxos de dinheiro que vinham passando despercebidos pelo órgão, além de encontrar outros possíveis envolvidos no caso, bem como uma possível delação premiada de outros alvos considerados “menores” do suposto esquema, entre eles o próprio Queiroz, cuja prisão já gera expectativa dentro Ministério Público fluminense.

Foto: Reprodução

Mais lidas da semana