Mídias Sociais

Política

Vereador de Macaé pede a deputados da cidade que trabalhem para equiparar salários da PM do Rio com a PM de Brasília

Avatar

Publicado

em

 

Vereador Paulo Antunes (MDB) defendeu em sessão ordinária desta terça-feira, 26, na Câmara Municipal de Macaé, que Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) deveria ser a polícia mais bem paga do país

Nesta semana, a Câmara Municipal de Macaé aprovou dois requerimentos de autoria do vereador Paulo Antunes (MDB), pedindo aos deputados estaduais da cidade, Welberth Rezende (PPS) e Chico Machado (PSD) para trabalharem pela equiparação dos salários dos policiais militares e dos soldados do Corpo de Bombeiros do Estado Rio com os mesmos recebidos pelos servidores do Distrito Federal.

Os pedidos do vereador, que já foi presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) são para que os deputados macaenses solicitem um projeto de lei ou emenda á Constituição Estadual com este objetivo.

“Esse requerimento que a gente faz aos 2 deputados eleitos com a nossa cidade é no sentido de dar um olhar melhor para a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ). Existe um PEC (Proposta de Emenda à Constituição) em Brasília, de número 300, que se encontra há mais de 12 anos no Congresso Nacional. E a PEC300 ela versa sobre esse assunto. Só que existe no país que cada Estado é responsável pela PM de seu Estado. Então não adianta essa PEC circular em Brasília. Entrei em contato com o Dr. Felício [Laterça, deputado federal do PSL] e não tem como, Brasília não tem como aprovar essa PEC. O que é essa PEC? A PEC é para pedir que a PMERJ e os bombeiros do Estado do Rio de Janeiro tenham o salário equiparado aos de Brasília. Enquanto um solado da PMERJ recebe em torno de 2 mil reais, o [salário de um PM] da capital federal é  R$ 5.900,00. É uma diferença absurda. E como exigir que a PM com família suba aqueles morros do Rio de Janeiro, adentre uma comunidade tendo uma família em casa esperando, com mulher, filhos, com um salário absurdo que o Rio de Janeiro paga?”, questionou Paulo Antunes.

O vereador, um dos mais antigos da atual legislatura, lembrou ocorrido no início de 2017, quando o Prefeito Dr. Aluízio (sem partido) propôs o pagamento do 13º salário dos policiais militares do 32º Batalhão da PM (32º BPM), que é responsável pela segurança de Macaé, Rio de Ostras, Casimiro de Abreu, Carapebus, Quissamã e Conceição de Macabu.

A medida, então criticada pelos vereadores de oposição foi a saída encontrada pelo governo municipal para impedir que os policiais militares entrassem em greve, provocando casos de violência como os ocorridos em Vitória, no Espírito Santo, poucos dias antes, devido aos mesmos atrasados nos pagamentos dos policiais.

“Muitas das vezes, nós mesmos criticamos a polícia, mas na hora que a coisa pega, você imediatamente liga para a polícia. Não adianta, não adianta. E o hoje, o milagre que a PM consegue fazer no nosso Estado, tem tirar o chapéu. A PMERJ tinha que ser a polícia mais bem paga do país. Porque não tem viatura, não tem uniforme, não tem o colete, o armamento é arcaico enquanto o bandido, o pilantra, está com um fuzil”, criticou Paulo Antunes.

A discussão dos requerimentos gerou elogios à iniciativa e críticas ao governador Wilson Witzel (PSC), que tinha como uma de suas promessas de campanha justamente a valorização do policial militar.

Segurança Macaé – Na última quarta-feira, 27, o Grupo de Apoio Operacional (GAOp), da Guarda Municipal (GM) de Macaé, realizou, uma ação integrada para tentar reduzir a mancha criminal da cidade, depois de tantos casos de violência registrados principalmente desde o último fim de semana.

A ação aconteceu no 32º BPM, e contou com a presença do comandante do 32º BPM, o tenente-coronel, André Henrique Oliveira; o analista criminal, major Joe Weider Magalhães de Medeiros; o comandante da 1ª Cia do 32° BPM, tenente Fabrício Ferreira Floriano; o comandante do GAOp e presidente do Conselho Comunitário de Segurança Pública de Macaé (CCSP), Vitor Hugo; além de integrantes do GAOp e representantes da Secretaria Adjunta de Segurança.

Segundo a prefeitura, o objetivo da reunião, onde foi apresentada a mancha criminal do município, era aproximar as corporações para combater delitos cometidos no município, principalmente o roubo de rua, e intensificar trabalhos como os iniciados pela GM na última terça-feira, 26, com patrulhamentos integrados ao sistema “Meta Verde” do 32º BPM, realizado pelos agentes do GAOp, em conjunto com a PM, na cobertura das áreas indicadas pela mancha e ainda com as ações integradas de segurança, trabalhos esses que serão realizados em todo o município.


 

Mais lidas do mês