Mídias Sociais

Política

Vereador de Casimiro de Abreu denuncia esquema de compra de votos na Câmara Municipal

Publicado

em

 

Vereador Neném da Barbearia apresentou denúncia ao Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) de esquema de corrupção e compra de votos envolvendo empresários, vereadores e até o prefeito de Casimiro de Abreu

Na última sexta-feira, dia 13, o vereador Neném da Barbearia (MDB) denunciou à Promotoria de Justiça do Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ), os vereadores de Casimiro de Abreu, Rafael Jardim (PSB) e Bruno Miranda (PSB) sob a acusação de tentarem comparar o voto do parlamentar na votação das contas do ex-prefeito, Antônio Marcos (PSC).

De acordo com o denunciante, os 2 parlamentares do grupo político do atual prefeito, Paulo Dames (PSB), queriam que Neném faltasse a votação das contas, no intuito de reprovar as contas e deixar o ex-prefeito inelegível por 8 anos.

Conforme uma publicação local, a denúncia conta com mais de duas páginas e nelas, Neném detalharia as irregularidades dos parlamentares, além de apresentar supostos áudios que serviriam como prova.

Nos depoimentos do emedebista, estariam relatados encontros com Bruno Miranda, em que o vereador do PSB teria oferecido 50 mil reais para que Neném faltasse a votação das contas, além de falar sobre esquemas de apoio de empresários em troca de favores políticos a vereadores da cidade.

“E a parada sua não é nem você votar contra o cara (Antônio Marcos) não. É só não ir votar. Nem aparece naquela p(...). Não vai. Acabou a sessão da terça, você vai, some”, teria dito Bruno Miranda, de acordo com áudios vazados divulgados no Facebook.

Num deles, o vereador da base governista chega a se mostrar preocupado com uma possível ligação entre os parlamentares, e pede para que o encontro de Neném com empresários acontecesse fora da cidade.

“O país ta passando por um momento difícil. Daqui a pouco, verem dois empresários chegando aqui... Um vereador chegando aqui, ta tratando de assunto de Câmara. Agora, dois empresários chegarem aqui, um vereador, no outro dia, você não vai votar, nego tira uma foto, aqui ó. Vereador foi lá, empresário foi lá. Entendeu? Então eu pensei em Búzios”, pondera Bruno Miranda, que segundo os documentos da denúncia, teria afirmado que a proposta poderia chegar a 70 mil reais.

No depoimento ao MP-RJ, Neném disse ainda que o presidente da Casa, Rafael Jardim, foi conivente com o ato, afirmando que o prefeito já teria 50 cargos para dar ao vereador do MDB em troca do seu apoio e que, por isso, este seria o momento de Neném “dar a volta por cima” e ficar bem no seu bairro.

Participação de empresários

Ainda segundo a denúncia, uma investida final para que Neném faltasse à votação aconteceu quando o emedebista, vereador de primeiro mandato, se encontrou com o empresário Wendel Veloso, conhecido como “Careca do Gás”, dono da W.W. Casimirense, e que se diz amigo do Prefeito Paulo Dames, a quem, em outros áudios vazados também no Facebook, ele chama de Paulinho.

Careca teria ligado para o vereador do MDB na véspera da votação lhe oferecendo uma carona para vir de Palmital para a sede do município de Casimiro, já que aconteceria uma sessão ordinária na Câmara naquele dia.

Na ocasião, o empresário teria conversado com uma terceira pessoa e, em seguida, se dirigido a Neném, tocando no assunto sobre a compra de seu voto para a reprovação das contas do ex-prefeito, se dizendo ali em nome do prefeito, subindo a proposta para 100 mil reais, garantindo que o valor seria acertado por ele e por outro empresário da cidade, de nome Fernando.

“Acho que a hora ta achando. A hora é essa. Bruno tinha te falado também. Essa parte empresarial, a gente vê uma maneira aí de te dar uma ajuda; entendeu? Porque você precisa, independente aí. Hoje o que eu posso fazer é chegar aí nos 100 conto aí pra você. E você, pô, ‘Careca, preciso disso’, ‘vai resolver’. Agora, eu tenho que sentar com Paulinho (Paulo Dames), to falando da parte empresarial. A gente desce pra Niterói, senta com Paulinho e você vê o que é que precisa. E assim, cara, é uma maneira também de você caminhar com o governo, cara”, teria dito o empresário.

O emedebista afirmou ainda que, de acordo com o empresário, ele seria levado ao encontro de Paulo Dames no apartamento deste, em Niterói, onde receberia o dinheiro em espécie, caso o acordo fosse aceito.

O vereador MDB contou ainda que, quase no final do trajeto, o empresário do gás disse que seria a hora de Neném melhorar politicamente com o atual prefeito e perguntou se aceitaria a oferta, quando Neném negou e afirmou manter seu voto favorável à aprovação das contas de Antônio Marcos.

“Eu acho, ô, Neném, que a oportunidade é muito boa. Não é dinheiro. Dinheiro vai resolver as coisa que você tem que resolver. Mas assim, dinheiro acaba. Você vai ter é um prefeito te dando apoio, e o que ele tratar com você, ele vai cumprir. Isso você pode ter certeza. E tem cumprido, porque tudo que prometeu com Bitó (vereador, PSC) e Marquinho (da Vaca Mecânica, PATRI), Paulinho tem cumprido”, continua Careca em áudio, dando a entender que o prefeito tem acordo com os 2 vereadores.

O empresário diz ainda que a prática de receber recursos de empresários é comum na política da cidade, e que nem um vereador nem o próprio prefeito conseguiriam “resolver” seus problemas apenas com os salários de seus cargos.

“Você tem que trabalhar, você dá pra ganhar dinheiro. A política, você tem que ajudar. Porque não adianta, que o vereador não vive pra fazer política com o salário dele. O prefeito não consegue arcar com as coisas só com salário dele. Ta me entendendo? Não consegue. Você pega seu salário aí com um monte de problema que você tem pra resolver? Consegue? Não consegue não. Tem uma situação. Hoje, Paulinho quer que as coisas aconteçam. Entendeu? Também não to vindo aqui no meu pessoal, é o prefeito. Entendeu?”, reforça o empresário do gás.

Já em Casimiro de Abreu, Neném e o empresário teriam se encontrado com Rafael Jardim, que, também em áudios vazados do Facebook, deixa claro o plano para que Neném não apareça na votação das contas do adversário político.

“Na verdade, você não pode ir votar. Você tem que sair fora. Teria que sair fora, porque você assinou o parecer contrário. Como é que você vai, na hora, votar contra? [Tem que] Pegar sua mulher e ir pra Búzios e voltar só semana que vem”, sugere o presidente da Câmara de Casimiro.

No dia da votação, Neném da Barbearia votou pela aprovação das contas de Antônio Marcos, e, como consequência, teria passado a ser perseguido politicamente, não tendo seus pedidos e indicações atendidos pelo Executivo.

Em sua página no Facebook, Neném da Barbearia explica que a denúncia é uma forma de respeitar os votos que recebeu nas últimas eleições municipais, realizadas em outubro de 2016, em que o vereador do MDB terminou como o 10º mais votado, com 643 votos.

“Boa tarde, amigos e amigas. Hoje tomei a decisão de fazer valer cada voto a mim depositado, neste meu primeiro mandato. Por este motivo hoje vim ao Ministério Público e abri uma denúncia contra alguns vereadores do atual Poder Legislativo, que tentaram comprar meu voto na análise da prestação de contas do prefeito anterior, Antônio Marcos. Não aceito e não aceitarei chantagem, corrupção, pois sou um homem de palavra, e já mostrei isso na posse, votando para presidente em um vereador do grupo que foi eleito unido e se desfez. Uma coisa que sempre farei é poder andar de cabeça erguida, onde for, e representar honestamente os eleitores que me confiaram seu voto. Aguardem novas notícias, que vão movimentar e mostrar a verdadeira cara do Legislativo”, publicou ainda na sexta.

Em áudios vazados no Facebook, outras conversas envolvendo Careca, Bruno e Neném, colocam ainda a participação do vice-prefeito, Kinha (PRB), e do vereador Ramon Gidalte (PPS), que, faria uma oposição apenas para angariar vantagens pessoais.

“Mas eu sou f(...), irmão. Eu caminho. Você vê ó, Lucas Cortes, já cheguei nele. Entendeu? Você acha que Lucas não ta me ajudando? Boto pra te ajudar também. Outro esquema, entendeu? Só que aí você tem que ter comprometimento com o cara”, diz Bruno, em outro trecho dos áudios vazados no Facebook.

Neném sugere que o tal comprometimento ao qual Bruno se refere é “parar de bater na empresinha dele...”, ao que o vereador do PSB diz que é “muito mais vantagem você ter 3 contos por mês. Você faz muito mais coisas na rua com 3 mil reais de cesta básica do que batendo”.

Em seguida, Bruno cita o vereador Ramon Gidalte, dizendo que ele também faz parte do esquema com o empresário Lucas Cortes, dono da I. Service Comercial Ltda., com quem a Prefeitura de Casimiro de Abreu tem contrato, desde 2016, ou seja, ainda no governo Antônio Marcos, para a execução de obras de drenagem pluvial, rede de distribuição de água, esgotamento sanitário e pavimentação do loteamento Cidade Praiana, em Barra de São João.

“Ramon é muito vagabundo. To ajudando ele em outra coisa aí também. Lucas vai dar um negócio a ele também. Esses caras (vereadores) querem dinheiro, rapaz. Eles batem pra tirar. Muitas das vezes, você entra de bucha. To te falando, rapaz. E quem ta resolvendo pra ele lá é eu e Kinha. Porque sabe quem falou pra ele? Deve ter sido Kinha. Kinha deve ter falado. ‘Aí, Bruno resolveu um negócio pra Neném lá’. Entendeu? Ele ta assim com Kinha. Kinha resolve um monte de coisa pra ele. Kinha resolve negócio de portaria pra ele, rescisão. Kinha resolve sem Paulinho saber. Paulinho resolve, acha que ta resolvendo pra Kinha, ta resolvendo pra Ramon”, explica Bruno, citando o ex-vereador e atual vice-prefeito de Casimiro.

Em resposta, também no Facebook, Ramon nega que receba qualquer vantagem do governo municipal e reforça sua posição contrária à atual gestão da cidade, prometendo esforço para instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar o caso, além de afirmar que vai entrar com ação cível e criminal contra Bruno Miranda pelas declarações vazadas dos áudios.

“Ontem (sexta) tomamos conhecimento de fatos graves envolvendo o Legislativo municipal. Não se trata de fofoca de bastidor. O vereador Neném, ele fez graves denúncias que precisam ser apuradas imediatamente. E eu, pela postura que todos já conhecem, me sinto no dever de colaborar para que essas denúncias sejam apuradas junto à Câmara de Vereadores e junto à população de uma maneira em geral. Vou me reunir nas próximas horas com colegas vereadores e estudar a possibilidade de entrarmos com uma CPI ainda nesse período do recesso parlamentar. Com relação à citação do meu nome nas gravações, fica ainda mais claro e evidente que é uma estratégia do vereador Bruno Miranda em induzir o vereador Neném da Barbearia a aceitar essa indecorosa proposta. Não faz o menor sentido, eu sendo o vereador que mais critico o governo, receber favores desse mesmo governo. Não custa lembrar que eu tenho, assim, batido muito no governo com relação a nomeação de comissionados, funcionários fantasmas; do conluio de empreiteiras para ganhar as licitações; do superfaturamento das obras; e especialmente a empresa I. Services. Eu tenho criticado de maneira muito crítica, muito feroz, essa empresa pela prestação péssima de serviços, atraso de salários ao servidores. E inclusive fiz um pedido de CPI para apurar as irregularidades dessa empreiteira. Então não é crível que eu possa receber qualquer favor desse governo. Então é por essa razão que eu venho aqui repudiar as declarações do vereador Bruno Miranda. Já encaminhei ao meu advogado para que a gente possa estudar as medidas judiciais cabíveis contra ele na esfera cível e na esfera criminal”.


 

Mais lidas do mês