Mídias Sociais

Política

TSE explica regras de justificativa de voto para eleitores fora de seus domicílios eleitorais no pleito de 15 de novembro

Avatar

Publicado

em

 

Restando apenas 19 dias para as eleições municipais, adiadas para 15 de novembro devido à pandemia do coronavírus, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou as regras para quem está fora do seu domicílio eleitoral e pretende justificar a ausência no pleito.

Para fazer isso, os eleitores podem ir a qualquer sessão eleitoral na cidade em que estão, das 7h às 17h do horário local, e fazer o procedimento presencialmente, mas também podem fazer isso pelo aplicativo e-Título, e através de uma ferramenta de georreferenciamento que permitirá a justificativa de quem estiver fora da cidade na qual vota.

O mesmo vale para o 2º turno, marcado para o próximo dia 29 de novembro, mas na Região dos Lagos e no Norte Fluminense, apenas o município de Campos dos Goytacazes poderá passar pelo 2º turno nessas eleições.

O TSE lembra que, nos 60 dias seguintes ao dia da votação, o eleitor que faltar à votação por qualquer motivo ainda poderá justificar a ausência nos cartórios eleitorais, no Sistema Justifica, ou pelo aplicativo de e-Título.
“Nesses casos, será exigida a apresentação de documentos que comprovem o motivo da ausência. Após esse prazo, o eleitor faltante ficará sujeito à multa. Para quem estiver fora do país no dia da eleição, o prazo será de 30 dias a partir do retorno ao país”, acrescentou o órgão máximo da Justiça Eleitoral.

Sobre o e-Título, o TSE explica que o aplicativo foi desenvolvido para ser uma via digital do título de eleitor, permitindo votar apresentado apenas a versão digital, caso essa versão mostre a foto do eleitor.

“Tal funcionalidade está disponível somente para quem realizou o cadastramento biométrico. A Justiça Eleitoral recomenda que os usuários baixem, gratuitamente, a nova versão do aplicativo que passou por atualizações recentes e está disponível nas lojas online Google Play e App Store. Além dessas funções, o e-Título permite consultar o local de votação e envia ao eleitor informações importantes como cuidados sanitários a serem adotados no dia da eleição e esclarecimentos sobre notícias falsas que costumam circular com o intuito de atrapalhar o processo democrático eleitoral. O eleitor poderá ainda emitir certidões de quitação eleitoral e de crimes eleitorais, que estarão disponíveis a qualquer momento”, detalha o TSE.

O Tribunal, porém, lembra que nenhum dos serviços prestados pelo e-Título é exclusivo do aplicativo, permitindo que as certidões também possam ser obtidas pelo computador ou junto ao cartório eleitoral.

Mais lidas da semana