Mídias Sociais

Política

Sindipetro-NF diz que falta de combustíveis pode paralisar operações da Bacia de Campos em 2 dias

Avatar

Publicado

em

 

Coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF), Tezeu Bezerra explica que plataformas dependem dos combustíveis e lembra que se produção da Bacia de Campos parar, preços podem voltar a subir

O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) anunciou nesta sexta-feira, 25, que há risco de paralisação em atividades de aeroportos onde ocorrem os embarques e desembarques dos petroleiros na Bacia de Campos, além de outros insumos e alimentos para as plataformas de petróleo.

O alerta foi dado pelo coordenador do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra, em vídeo publicado na página do sindicato, onde ele diz que, em caso de problemas, providências a exigências cabíveis serão tomadas para interromper as atividades de óleo e gás em toda Bacia, não importando de qual segmento ou modalidade de serviço, inclusive o desembarque imediato de todos os trabalhadores.

Com a greve dos caminhoneiros em 24 estados brasileiros e no Distrito Federal, que afetou a distribuição de diversos produtos e insumos, desde gêneros alimentícios até combustíveis, o querosene de aviação está em nível crítico, podendo acabar dentro de 2 dias.

Ainda conforme o vídeo no site do Sindipetro-NF, caso a situação da greve dos transportes de cargas não se normalizarem, será necessário usar o estoque emergencial destinado ao embarque e desembarque, paralisando as operações da Bacia.

O Sindicato ainda critica os partidos e simpatizantes que foram a favor do impeachment da ex-presidente Dilma (PT), lembrando que os aumentos dos combustíveis estão maiores no governo atual do que nos últimos 13 anos do governo do PT.

Em números divulgados pelo coordenador do Sindipetro-NF, os aumentos do governo do PT ficaram em 28% enquanto os aumentos do governo de Michel Temer (PMDB) ultrapassaram 70%.

Tezeu Bezzera explica ainda que toda frota de atividades e apoio offshore necessita do transporte de cargas feito pelos caminhões para levar combustíveis para as embarcações e plataformas de petróleo, pois estes funcionam a motores a diesel que geram eletricidade, e que alguns sistemas eletrônicos, como a navegação e as comunicações, também dependem da logística de combustíveis.

Ele ainda ressalta que, com as operações offshore paradas, há menos produção de combustível, com menos oferta no mercado, o mesmo ficará mais caro, deixando os preços maiores do que já estão e aumentando os custos das operações.

Mais lidas da semana