Mídias Sociais

Política

Servidores de Rio das Ostras estariam sofrendo intimidação de comissão que tem primo do prefeito

Publicado

em

 

Atual gestão da Prefeitura de Rio das Ostras, que assumiu em julho deste ano, é acusada de intimidar servidores da Secretaria de Saúde e de praticar atos de nepotismo

A administração do Prefeito de Rio das Ostras, Marcelino Borba (PV), eleito este ano, durante as eleições suplementares de junho, foi alvo de uma denúncia de um funcionário efetivo da prefeitura ao Ministério Público do Estado do Rio Janeiro (MP-RJ).

Segundo informações publicadas no blog elizeupires.com, no último sábado, 29 de setembro, uma comissão nomeada pelo prefeito, e que conta, inclusive, com um de seus primos, Décio Machado Borba Neto, estaria supostamente intimidando servidores da Secretaria de Saúde.

Além das denúncias de intimidação, o servidor, que não teve nenhum dado divulgado por motivos de segurança, acusou Marcelino ainda de cometer ato de nepotismo ao nomear um primo em cargo comissionado no governo municipal.

Ainda conforme a publicação do blog, a comissão seria formada pelo primo do prefeito, bem como pela esposa dele, Alessandra Napoleão Sant'Ana, e pelo Secretário Municipal de Segurança Pública, Marcus David Gomes Resende, que é delegado da Polícia Civil do Amazonas, e está cedido ao município.

A missão da comissão seria auditar contratos com empresas firmados pela antiga administração do ex-prefeito Carlos Augusto Balthazar (MDB), que venceu as eleições de 2016, mas teve mandato cassado no início deste ano, deixando o cargo para realização das eleições suplementares vencidas por Marcelino.

Na denúncia, constariam acusações de que Marcus se apresenta como delegado e não como secretário, o que foi apontado como um ato de intimidação, além de relatos de pressão exercida pela comissão que estaria acusando servidores ligados a gestões anteriores de praticar atos irregulares.

“Quando chegam, escolhem servidores que participaram das últimas gestões e começam a intimidar e insinuar que realizaram atos irregulares. Está tudo (os serviços de saúde) sendo paralisado e quem sofre com isso tudo é a população e os servidores, que estão com medo e aterrorizados”, teria declarado o servidor em sua denúncia, segundo o blog do jornalista Elizeu Pires.


 

Mais lidas do mês