Mídias Sociais

Cidades

Sede do Sistema Firjan no Rio recebe autoridades para debater obras de infraestrutura ditas fundamentais para a região

Avatar

Publicado

em

 

Para tentar resolver os problemas no atraso de obras de infraestrutura no Estado do Rio de Janeiro, autoridades, parlamentares e empresários se reuniram na última sexta-feira, 28 de outubro, na sede do Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) para debater o tema.

Dentre as presenças importantes no evento, estavam o Secretário do Programa de Parceria de Investimentos (PPI) do Governo Federal, Moreira Franco (PMDB), e o governador licenciado do Estado do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB).

No encontro, a Firjan apresentou o estudo “Impactos Socioeconômicos da Postergação de Obras nas Rodovias Federais Concedidas no Rio de Janeiro”, segundo o qual, o estado corre o risco de perder quase 5 bilhões de reais.

“Segundo o levantamento, que analisou os impactos logísticos e dos acidentes nas BRs 116, 040, 101 e 393, caso não se consiga um consenso para as obras nestas rodovias serem iniciadas no curto prazo, corre-se o risco de serem concluídas apenas entre 2031 e 2033, resultando em custos de R$ 4,9 bilhões”, explica a Firjan.

O Presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, ressaltou ainda a relevância de destravar os investimentos para a retomada do crescimento nacional.

“O transporte e a logística formam uma agenda fundamental para o Brasil. Por isso, é preciso criar regras claras para atendermos à demanda e darmos condições de o capital externo nos ajudar. Precisamos fazer novas concessões e ter boa vontade com as que já foram feitas, para que elas continuem a funcionar”, afirmou o presidente.

Uma das maiores bandeiras da Comissão da Firjan em Macaé, as obras de duplicação da BR-101, principal rodovia de ligação entre os municípios da Região dos Lagos e do Norte Fluminense com a capital fluminense, é apontada como fundamental para o retorno do crescimento da região, em crise devido à dificuldade enfrentada pela indústria do petróleo.

Para o Presidente da Comissão da Firjan em Macaé, Marcelo Reid, o evento significou avanços na discussão, que, porém, ainda segue sem soluções, principalmente nas questões ambientais que travam as obras nos trevos da Reserva da União, em Casimiro de Abreu, e no Brejo da Severina, em Macaé.

“As discussões foram mais enfáticas, e o radar está em cima da duplicação da BR-101; continuamos mapeando isso, mas ainda esbarra nas questões ambientais nos trevos da Reserva da União e da Reserva Severina. A solução está próxima, mas esses problemas ainda não foram resolvidos”, contou Marcelo Reid.

Tunan Teixeira

Mais lidas do mês