Mídias Sociais

Política

Representantes da BRK Ambiental se reúnem com Comissão de Meio Ambiente da Câmara de Macaé

Avatar

Publicado

em

 

Em reunião realizada na Câmara Municipal de Macaé, representantes da BRK Ambiental apresentaram aos vereadores o planejamento de investimentos para ampliar os serviços de captação e tratamento do esgoto no município.

Segundo a concessionária, responsável pelos serviços na cidade, a previsão é de investimentos de 110 milhões de reais nos próximos anos, e a ampliação do esgotamento sanitário para mais 17 mil habitantes somente em 2019.

Os números foram apresentados para a Comissão de Meio Ambiente e Saneamento da Câmara, que contou com a presença do presidente da comissão, Maxwell Vaz (SOLIDARIEDADE), além do presidente da Comissão de Obras, Val Barbeiro (PHS), e o relator da Comissão de Finanças, Marvel (REDE).

Ainda de acordo com a empresa, só neste ano, as ações acontecerão nos bairros da Imbetiba, do Centro, da Nova Macaé, da Cancela Preta, do Jardim Vitória, do Jardim Santo Antônio, do Vale Encantado e da Praia Campista.

Para 2020, a estimativa é de finalizar as obras iniciadas e ampliar as ações de melhoria do esgotamento sanitário nos bairros da Riviera Fluminense, da Costa do Sol, dos Cajueiros e do Alto dos Cajueiros.

No Lagomar, estão programadas obras para adaptação da rede em um prazo de 20 meses, atendendo a todo o bairro, um dos mais populosos da cidade, somando 14 elevatórias a serem construídas, além de mais 56 km de rede de esgoto, com orçamento de 5,9 milhões de reais.

Após entendimento com a prefeitura, a BRK antecipou o calendário de obras no Parque Aeroporto para o ano que vem. A construção de uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) está orçada em 25 milhões de reais, com 3 módulos que poderão tratar até 300 litros de esgoto por segundo, contemplando todas as casas da região.

A concessionária revelou que a atual capacidade de tratamento do esgoto do município é de 180 litros por segundo, resultado de 66 quilômetros (km) de extensão da rede coletora, além de 16 km de linha de recalque e 72 estações elevatórias, números que representam a coleta e o tratamento sanitário para 46 mil pessoas.

A BRK Ambiental relatou que a ETE Mutum, responsável por tratar 4 bilhões de litros de esgoto desde 2014, enquanto a ETE Centro, com maior capacidade, atingiu a marca de 3,4 bilhões de litros de 2016 até junho deste ano.

No total, a Parceria Público Privada (PPP), assinada entre a prefeitura e a Odebrecht Ambiental, depois substituída pela BRK Ambiental, tem previsão de 35 anos de validade, totalizando investimentos previsto de 756 milhões de reais, assegurados por meio de um fundo garantidor proveniente dos royalties.

Mais lidas da semana