Mídias Sociais

Política

Vereadores de Macaé rejeitam criação de CEI da Saúde por 8 votos a 3 em sessão ordinária da Câmara

Avatar

Publicado

em

 

A Câmara Municipal de Macaé derrubou, em sessão ordinária da manhã desta terça-feira, 1 de outubro, um projeto de resolução pedindo a instalação de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar irregularidades na Saúde do município.

Integrantes da base governista na Casa, os vereadores Paulo Antunes (MDB) e Dr. Marcio Barcelos (MDB), questionaram a proposta do vereador Maxwell Vaz (SOLIDARIEDADE), líder da oposição, defendendo o serviço de saúde prestado no município.

Segundo os vereadores emedebistas, mesmo com todos os desafios enfrentados pela rede pública municipal de Saúde de Macaé nos últimos anos, com a queda de receitas e o aumento da demanda, já que a rede atende pacientes de toda a região, não há motivos para uma CEI da Saúde no município.

“Eu não encontro justificativas para que uma CEI aconteça na Saúde de Macaé”, defendeu o Dr. Barcelos, que revelou que a rede atende cerca de 400 mil pessoas, apesar de, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população do município estar estimada em 256.672 habitantes.

Os argumentos da alta da demanda regional também foram usados por Paulo Antunes, que defendeu o atendimento prestado pela unidade, repetindo que ele mesmo faz questão de ser atendido no Hospital Público Municipal (HPM), mesmo tendo convênio da Unimed.

“Os problemas da Saúde não são de Macaé, são do Estado do Rio. Todo acidente na BR-101 vem para Macaé. Por quê? Por que a Saúde de Macaé é ruim? Não, porque a Saúde de Macaé é boa”, lembrou o vereador Cesinha (PROS), fazendo coro aos emedebistas.

Apesar das justificativas dos vereadores de oposição, a proposta acabou derrubada pela maioria dos votos, sendo rejeitada com 8 votos contrários, apenas 3 votos favoráveis e uma abstenção, encerrando, pelo menos momentaneamente, as discussões sobre uma CEI da Saúde no município.

Mais lidas da semana