Mídias Sociais

Política

Presidente da Câmara Federal acredita que Reforma da Previdência precisa ser enxugada

Avatar

Publicado

em

 

Para Rodrigo Maia, texto do governo federal precisa focar apenas em prioridades

Apesar do arquivamento da denúncia por corrupção contra Michel Temer (PMDB), a União pode não ter tanto o que comemorar, depois das recentes declarações do Presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Segundo o deputado carioca, a Casa voltará a discutir a Reforma da Previdência, de autoria do governo, apenas a partir de novembro. Rodrigo Maia disse ainda que a pauta deve retornar ao centro do debate após os deputados rejeitarem o pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) para investigar Temer, e os ministros Eliseu Padilha (PMDB-RS) e Moreira Franco (PMDB-RJ).

E Rodrigo Maia não deu boas notícias ao governo. Para ele, a Reforma da Previdência precisará ser enxugada e focada em aspectos considerados essenciais para acabar com o que ele chamou “maior transferência de renda do mundo de pobres para ricos”, destacando ainda a fixação da idade mínima e as regras para servidores públicos.

“É óbvio que um sistema onde 7 milhões (de pessoas) representam um déficit de 150 bilhões de reais por ano, e um número de quase 30 milhões de pessoas representam um valor do déficit igual, tem coisa muito errada. A gente tem que priorizar a idade mínima, precisa priorizar a reforma (da aposentadoria) do serviço público e convencer a sociedade e os parlamentares de que essa não é uma pauta contra o Brasil, contra os brasileiros”, afirmou Rodrigo Maia à Agência Brasil.

De acordo com a agência, da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), o retorno do assunto à pauta de discussões no Congresso também foi mencionado pelo Ministro-Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, ao sair de jantar promovido pelo deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG) ontem.

Segundo Maia, o processo de análise da denúncia contra Temer na Câmara intensificou o desgaste do presidente com deputados de partidos aliados ao governo, mas ele avalia que Temer saberá reconstruir sua base aliada na Casa.

“É um homem experiente, que viveu, talvez, o momento mais difícil da história política dele. Certamente, agora, vai refletir e vai avaliar quais são as melhores condições para que ele possa reestabelecer uma base para aprovar projetos de interesse do governo”, analisou o Rodrigo Maia.

Atualmente, a Reforma da Previdência é discutida na Casa por meio de Proposta da Emenda à Constituição (PEC) 287, de 2016 (PEC287/16), de relatoria do deputado Arthur Maia (PPS-BA).

Maia destacou que também deverão entrar na pauta do plenário projetos como a regulamentação dos planos de saúde, a Reforma Tributária, e dispositivos na área de petróleo e gás, como o Repetro, além de projetos que tratam de segurança pública.

Tunan Teixeira

Mais lidas da semana