Mídias Sociais

Destaque

Prefeitura de Macaé admite aumento na arrecadação no primeiro quadrimestre

Avatar

Publicado

em

 

Prestação de contas do período foi apresentado em audiência pública na Câmara nesta semana

 

Foto: Bruno Campos

 

 

Tunan Teixeira

 

A Câmara Municipal de Macaé recebeu, no início da noite desta quarta-feira, 31 de maio, o Secretário de Fazenda, Ramirez Cândido, e o Controlador Geral do Município, Luís Carlos Cunha, para a prestação de contas referentes ao 1º quadrimestre deste ano.

Repetindo anos anteriores, a prefeitura conseguiu aumentar a arrecadação neste período, mas dessa vez, o grande motivador para acréscimo de 17,9% em relação à arrecadação estimada para o período foram os royalties, que tiveram alta de 93,06% em relação ao valor estimado pela Secretaria de Fazenda.

Segundo o relatório de desempenho financeiro da Prefeitura de Macaé, referente aos meses de janeiro a abril de 2017, o governo municipal arrecadou R$ 742.422.499,49, superando em quase 20% a estimativa prevista para o período, que era de R$ 629.700.355,00 de receita. O valor ainda poderia ter sido maior, não fossem os R$ 36.129.134,64, já descontados do total, referentes ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB). 
“Da arrecadação líquida total, 54,24% foram de recursos próprios (R$ 402.719.841,30), um acréscimo de 0,80% sobre o estimado. Os royalties chegaram a R$ 141.180.734,20, o equivalente a 19,02% (e 93,06% a mais que a estimativa). Já os recursos vinculados somaram R$ 198.521.923,99 (26,74% do arrecadado), 26,42% acima do estimado”, explicou a prefeitura.

Apesar do aumento de arrecadação, pode se enganar quem pensa que os números significam o fim da crise financeira que assusta a cidade, já que o números de 2017 não são tão melhores se comparados com 2016, quando a prefeitura arrecadou R$ 738.139.922,39, ou seja, um aumento de apenas 0,6% em relação ao ano passado.

Comparando as maiores fontes de receita do município atualmente, a receita própria líquida caiu 15,1% em relação a 2016, mas, o valor dos royalties cresceu 52,50%, já que no ano passado, a cidade arrecadou R$ 92.566.205,54. Outra fonte de arrecadação que teve aumento em relação a 2016 foi a arrecadação vinculada, que subiu 15,90%.
“O investimento em saúde segue sendo prioridade no município. Por lei federal, o índice constitucional mínimo que cada cidade deve investir no setor é 15%. Em Macaé, a despesa chega a mais que o dobro do exigido: 32% (um total de R$ 334.266.000,00), tendo como base de cálculo a Receita Corrente Líquida de maio de 2016 a abril de 2017”, garantiu o governo municipal.

Em 120 dias, o Executivo já tem 39% do total previsto pela Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2017, que previa orçamento de cerca de 1,9 bilhões de reais, valor que pode ser ultrapassado caso os royalties continuem a subir, e o município supere a queda de arrecadação da receita própria, principalmente a do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), que de janeiro a abril deste ano, caiu mais de 10%.

Mais lidas da semana