Mídias Sociais

Política

Prefeito de Macaé sanciona projetos de lei de vereadores da bancada de oposição

Avatar

Publicado

em

 

Projetos haviam sido aprovados na Câmara Municipal no mês de agosto

 

Tunan Teixeira

 

Um “pacote” de projetos de leis aprovados na Câmara Municipal de Macaé foi sancionado pelo Prefeito Dr. Aluízio (PMDB). As sanções foram publicadas nos atos oficiais desta terça-feira, 12.

Curiosamente, dos 5 projetos que viraram leis no município, 4 são de autoria de vereadores da bancada de oposição. As sanções demonstram que, apesar das críticas, o prefeito segue tomando decisões que colocam a política em segundo plano quando o assunto é o bem estar da cidade.

Entre os projetos sancionados, estão 3 que poderão ter grande impacto na melhoria da qualidade de vida da população, dois que tratam da bagunça que é a disposição de cabos de força e telefonia nos postes da cidade, e outro que versa sobre o transporte público.

Os projetos que regulam a divisão do cabeamento municipal são de autoria de Maxwell Vaz (SD) e dispõe sobre a organização dos cabos, que, segundo o vereador, vem causando problemas, não apenas estéticos, mas também de segurança.

Na sessão em que o projeto foi aprovado, o líder do governo, Dr. Márcio Bittencourt (PMDB), lembrou que alguns acidentes envolvendo cabos de energia foram registrados no município no primeiro semestre, e que um ordenamento é importante para a cidade.

Além do ordenamento, os projetos estipulam prazo de 5 anos para as empresas de energia, telefonia, internet e TV que se utilizam dos cabos, criem projetos e concluam obras para que todo o cabeamento do município passe a ser subterrâneo.

Segundo o autor dos projetos, que, inclusive, foram bastante elogiados, as medidas contribuirão com a segurança e a limpeza da cidade, além de ajudar na manutenção de infraestrutura, já que os cabos, atualmente nos postes, sofrem com acidentes que deixam moradores sem serviços importantes para a população.

Outro projeto de lei sancionado pelo Prefeito Dr. Aluízio foi de autoria do líder da oposição, Marcel Silvano (PT), que torna obrigatória a colocação de placas nos pontos de ônibus com itinerários, mapas e horários das linhas, assim como indicações de meios de integração nos terminais da cidade.

Com o projeto, a obrigação da colocação das placas de sinalização que são usadas em diversas cidades do país, passa a ser da concessionária do serviço de transporte público de Macaé, o Sistema Integrado de Transportes (SIT), que, com a sanção, passa a ter no máximo 60 dias para cumprir as exigências da nova lei.

Foto: Reprodução

Mais lidas da semana