Mídias Sociais

Política

Petrobras assina carta de intenção visando a revitalização de campos maduros na Bacia de Campos

Avatar

Publicado

em

 

A Petrobras anunciou nesta semana a assinatura das cartas de intenção com a empresa japonesa Modec e a malaia Yinson para o afretamento de duas plataformas do tipo FPSO, respectivamente, nas unidades de Marlim 1 a Marlim 2.

De acordo com a estatal, as duas unidades serão utilizadas no projeto de desenvolvimento da produção da revitalização dos campos de Marlim e Voador, módulos 1 e 2, localizados na Bacia de Campos.

A Petrobras explicou que as plataformas serão instaladas a cerca de 150 quilômetros (km) da costa brasileira, em lâminas d’água de aproximadamente 670 metros (m) no caso da FSPO Marlim 1, e 930 m no caso da FPSO Marlim 2.
Os 2 projetos terão capacidades de processar até 80 mil barris de petróleo por dia (bpd) na FPSO Marlim 1, e 70 mil bpd na FPSO Marlim 2, na produção de óleo, e 7 milhões de metros cúbicos por dia (m³/dia) na FPSO Marlim 1, e 4 milhões de m³/dia na FPSO Marlim 2, na produção de gás natural.
Ainda segundo a estatal brasileira, o início da produção está previsto para os anos de 2022 e 2023, conforme Plano de Negócios e Gestão (PNG) 2019-2023, que ainda tem previsão para que as unidades sejam operadas e afretadas por 25 anos.

As ações de revitalização dos campos chamados maduros é resultado de uma campanha liderada pelo Prefeito de Macaé, Dr. Aluizio (sem partido), que conseguiu diversas medidas para incentivar a produção que ultrapassa a prevista na curva de referência do campo.

Os campos chamados maduros são aqueles que possuem 25 anos ou mais de produção ou que possuem produção igual ou superior a 70% das reservas provadas, chamadas de reservas 1P. O campo de Marlim, por exemplo, iniciou a produção há 35 anos, em 1984.

Mais lidas da semana