Mídias Sociais

Política

Petrobras anuncia doação de 600 mil testes de coronavírus para o SUS, sendo que 200 mil irão para o Rio de Janeiro

Avatar

Publicado

em

 

Com mais de 2.270 casos confirmados do novo coronavírus em todos os estados brasileiros, e quase 50 mortos, sendo 95% no Rio e em São Paulo, estados mais afetados pela pandemia internacional, a Petrobras anunciou nesta semana que vai doar 600 testes da doença ao governo brasileiro.

As doações serão feitas ao Sistema Único de Saúde (SUS), sendo 400 mil entregues diretamente ao Ministério da Saúde, e outros 200 mil à Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, que registra mais de 310 pacientes, com 6 mortes no Estado.

Na região, segundo informações desta terça-feira, 24, apenas o município de Campos dos Goytacazes, onde o 1º caso da doença foi confirmado na região nesta segunda-feira, 23, divulgou que está realizando a testagem. Em Macaé, onde não há casos confirmados, e onde se encontra o Hospital Público Municipal (HPM, na foto), um dos mais importantes da região e do interior do Estado, ainda não há notícias sobre a realização dos testes da doença.

Segundo a estatal, os testes serão importados dos Estados Unidos (EUA) ainda nesta semana e devem chegar ao Brasil em abril. Nesta terça-feira, 25, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou aos norte-americanos que o país pode superar a Europa e se tornar o novo epicentro global da pandemia.

Em apenas uma semana, os casos do coronavírus nos EUA passou de 5 mil para mais de 40 mil, com 537 mortes. De acordo com a porta-voz da OMS, Margareth Harris, entre segunda e terça-feira, cerca de 85% dos casos da doença confirmados no mundo estavam no EUA e na Europa, sendo que 40% eram de norte-americanos.

De acordo com a Petrobras, as testagens doadas ao SUS, do tipo RT-PCR, são consideradas padrão ouro, pois fornecem um diagnóstico preciso na identificação da presença do coronavírus nos pacientes testados.

A Petrobras revelou também que criou um grupo multidisciplinar de profissionais do seu próprio centro de pesquisas, com objetivo de avaliar e propor soluções em parceria com universidades, empresas e instituições que possam ajudar no combate ao coronavírus.

A situação no Brasil e nos EUA é sintomática, já que o presidente norte-americano, Donald Trump, também negligenciou e gravidade da pandemia no país, mas nesta terça-feira, devido ao aumento vertiginoso de casos, declarou emergência nacional nos EUA.

O 1º caso de coronavírus confirmados nos EUA foi no dia 21 de janeiro. Atualmente, quase 2 meses depois, sem medidas rigorosas de isolamento, o país já o 3º no mundo com maior número de casos, 55.330, atrás apenas da China, com 81.218, e da Itália, com 69.176 casos confirmados.

Os dados são de um mapa elaborado pela Microsoft para acompanhar o número de casos de coronavírus em todos os países do mundo. O Brasil, que registrou seu 1º caso no dia 26 de fevereiro, aparece na19ª posição entre os países com maior número de casos no planeta.

Mais lidas da semana