Mídias Sociais

Política

Pesquisa Vox Populi traz Fernando Haddad como candidato de Lula na liderança da corrida presidencial

Publicado

em

 

Quando apontado aos eleitores como candidato apoiado pelo ex-presidente Lula (PT), Fernando Haddad (PT) dispara no Nordeste e lidera pesquisa de intenções de votos para a presidência da república

Publicada pela revista Carta Capital nesta quinta-feira, 13, uma nova pesquisa de intenção de votos para a disputa presidencial surpreendeu eleitores e gerou comemorações e críticas nas redes sociais.

A pesquisa, realizada pela Vox Populi, e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01669/2018, foi o resultado da entrevista com 2 mil eleitores em 121 municípios entre 7 e 11 de setembro, e tem como margem de erro 2,2 pontos percentuais para menos ou para mais. A pesquisa foi contratada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Segundo a pesquisa da Vox Populi, o substituto do ex-presidente Lula (PT) na disputa, Fernando Haddad (PT), aparece na liderança, com 22%, à frente do deputado estadual do Rio, Jair Bolsonaro, que soma 18%.

Em seguida vêm Ciro Gomes (PDT), com 10%, Marina Silva (REDE), com 5%, e Geraldo Alckmin (PSDB), com 4%. Os demais candidatos surgem todos com menos de 1 %, somando 5% de votos em “outros”. A pesquisa registrou ainda 21% de votos brancos ou nulos, e 16% de entrevistas que não souberam ou quiseram responder.

A mudança no resultado da pesquisa se deve ao fato de que, diferente de outros institutos que também fizeram pesquisas estimuladas, ou seja, quando o estrevistados oferece os nomes dos candidatos aos eleitores, a Vox Populi colocou Haddad ligado diretamente ao nome do ex-presidente.

Segundo o diretor da Vox Populi, Marcos Coimbra, explicou à Carta Capital, a escolha por oferecer o nome de Haddad com a frase “apoiado por Lula” não se trata de uma indução, mas de fornecer o máximo de informação ao eleitor.

“Esconder o fato de que o ex-prefeito [de São Paulo, Fernando Haddad] foi indicado e tem o apoio do ex-presidente [Lula] tornaria irreal o resultado de qualquer levantamento. É uma referência relevante para uma parcela significativa dos cidadãos. Chega perto de 40% a porção do eleitorado que afirma votar ou poder votar em um nome apoiado por Lula”, acrescentou Marcos Coimbra à revista.

A Carta Capital explica ainda que apenas 53% dos entrevistados reconhece Haddad como o candidato de Lula, mudança que foi confirmada com a nova inscrição da chapa junto à Justiça Eleitoral, com a adição da deputada estadual gaúcha, Manuela D’Ávila (PCdoB) como vice, na terça-feira, 11.

Segundo a revista, os dados da pesquisa revelam que o desconhecimento de que Haddad é o candidato indicado por Lula é maior justamente na parcela mais propensa a seguir a recomendação do ex-presidente, os mais pobres e menos escolarizados.

A pesquisa da Vox Populi teria revelado ainda que, de maio a setembro, diminuiu de 39% para 16% o percentual de brasileiros que afirmam não saber que Lula está impedido de disputar a eleição, fruto de decisão do TSE no último dia 31 de agosto.

Quando explicado a este público que Haddad é o candidato de Lula, o ex-prefeito de São Paulo registra grandes avanços. O petista lidera disparado no Nordeste, totalizando 31% das intenções de votos, e tem seu pior desempenho na região Sul, com 11%, mesmo quando associado ao ex-presidente.

A única semelhança entre o resultado obtido pelo Vox Populi em relação às demais pesquisas divulgadas até esta sexta-feira, 14, é quando o assunto é a rejeição dos candidatos, já que o deputado estadual fluminense, vítima de um ataque em Juiz de Fora, Minas Gerais, segue com a liderança isolada, com 57% da rejeição dos entrevistados.

Ciro Gomes é o presidenciável menos rejeitado (34%) entre os 5 candidatos mais bem posicionados, seguido por Haddad (38%), Marina Silva (50%) e Geraldo Alckmin (52%). Nesse quesito, inclusive, Bolsonaro aparece com o maior percentual de menções espontâneas (13%), quando o entrevistador não oferece alternativas, enquanto os outros 4 candidatos variam entre 4% e 2% apenas.

O primeiro turno das eleições gerais, que elegerão presidente, governadores, senadores, e deputados federais e estaduais, está marcado para o próximo dia 7 de outubro, enquanto segundo turno acontece no dia 28 do mesmo mês.


 

Mais lidas do mês