Mídias Sociais

Cidades

Perfil dos vereadores da região é de maioria de homens brancos entre 40 e 49 anos

Avatar

Publicado

em

 

Passada a primeira semana após as eleições do último domingo, 2, quando o resultado das urnas foi divulgado, com os eleitos em cada município do país, já é possível traçar um perfil dos candidatos eleitos em 12 cidades da Região dos Lagos e do Norte Fluminense.

Sem nenhuma surpresa, a maioria dos vereadores eleitos em Araruama, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Carapebus, Casimiro de Abreu, Conceição de Macabu, Iguaba Grande, Macaé, Quissamã, Rio das Ostras e São Pedro da Aldeia, é de homens brancos na faixa etária entre 40 e 49 anos.

Dos 141 vereadores eleitos nestas 12 cidades da região, são 127 vereadores homens, ou seja, quase 90% das cadeiras, e apenas 14 mulheres, perto de 10%. A representatividade feminina nas cadeiras do Legislativo só não é menor que a de negros, que somam 10 vereadores (7%), e a de asiáticos, com 2 vereadores (1%).

Ao todo foram 91 vereadores brancos (65%) e 38 pardos (27%) eleitos, demonstrando a pouca representatividade de uma população que é maioria absoluta no país. Os números reforçam o problema étnico e racial no país, já que o quesito “cor/raça”, no registro de candidatura, é de responsabilidade do candidato, e muitos não se registram como negros, o que faz com que a representatividade negra seja ainda menor.

Nestas eleições, menos da metade das cidades da região elegeram vereadores negros em suas Câmaras Municipais, como Iguaba Grande, Macaé, Quissamã, Rio das Ostras e São Pedro da Aldeia, e apenas uma, Carapebus, elegeu vereadores com a “cor/raça” descrita como “amarela”.

As cidades com menor representatividade étnica e racial na Câmara são Cabo Frio, com 15 vereadores brancos (88%), e Macaé, com 14 (82%), enquanto a cidade com maior representatividade é Carapebus, com 3 pardos e 2 “amarelos”, atingindo 56% da composição da Câmara Municipal.

Logo atrás, estão Iguaba Grande, com 5 pardos e 1 negros (55%), e Rio das Ostras, com 6 vereadores pardos e 1 negro (54%), as únicas três cidades em que os brancos são minoria no Legislativo.

Da mesma forma, a participação feminina entre os eleitos para o Legislativo na região ficou restrita a algumas cidades, como Araruama, Búzios, Cabo Frio, Carapebus, Macabu, Macaé, Quissamã, e São Pedro, esta última a cidade que mais elegeu mulheres como vereadoras, com 4 eleitas, o que representa 40% das cadeiras da cidade.

As que menos elegeram mulheres foram Arraial, Casimiro, Iguaba Grande e Rio das Ostras, que não possuem nenhuma mulher entre seus vereadores eleitos.

Entre a faixa etária, a maioria dos vereadores está entre 40 e 49 anos, somando 55 dos 141 parlamentares eleitos na região. Em seguida, vêm os que possuem idade entre 30 e 39 anos, que somam 46 eleitos; e entre 50 e 59 anos, que somam 26 vereadores.

Entre os 141 são 3 entre 20-24 anos, 4 entre 25-29 anos, 23 entre 30-34 anos, 23 entre 35-39 anos, 33 entre 40-44 anos, 21 entre 45-49 anos, 20 entre 50-54 anos, 6 entre 55-59 anos, 2 entre 60-64 anos, e 4 entre 65-69 anos.

Os dados mais curiosos, porém, são os que demonstram o perfil dos vereadores eleitos na região com relação às suas ocupações, já que 25% deles descreveram ter como profissão o cargo legislativo. Entre os 141 eleitos na região, foram 35 vereadores, 14 empresários, 12 comerciantes e 7 servidores públicos municipais.

Os dados já levam em consideração as entradas de Dr. Eduardo Cardoso (PPS) e Marvel (REDE) nos lugares de Robson Oliveira (PSDB) e Carla Mussi (PMB) na Câmara Municipal de Macaé, depois que foi anunciado pelos vereadores da cidade que as pendências judiciais tanto de Dr. Eduardo quanto da coligação de Marvel já foram resolvidas, bastando apenas que o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) seja atualizado, retirando as impugnações que impedem que seus votos sejam computados.

Tunan Teixeira

Mais lidas da semana