Mídias Sociais

Política

Pedido de mudança de nome do PMDB sofre 3 impugnações e partido tem 7 dias para apresentar defesa

Publicado

em

 

Impugnação foi apresentada por diretórios do partido em Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre

Apesar de já estar sendo usado por boa parte da imprensa nacional, o PMDB ficou mais distante de ter de volta o antigo nome, antes da adição da palavra “partido” ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), usado até 20 de dezembro de 1979, quando o sistema bipartidário chegou ao fim.

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Admar Gonzaga, determinou que o Diretório Nacional do PMDB ofereça, no prazo de 7 dias, sua defesa acerca de impugnação apresentada por diretórios de 3 municípios ao pedido da legenda para o restabelecimento do antigo nome.

O pedido de alteração estatutária, incluindo a mudança de nome, foi protocolado no TSE pelo órgão nacional do PMDB no último dia 31 de janeiro, seguindo a mesma tendência dos antigos PTdoB (atual AVANTE), PTN (atual PODE), e de outros partidos que já protocolaram pedidos semelhantes, para tirar o “partido” do nome.

De acordo com o TSE, os diretórios municipais de Curitiba, no Paraná; Florianópolis, em Santa Catarina; e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, contestaram o retorno à antiga nomenclatura da sigla.

Além do PMDB, outros 3 partidos aguardam a análise, por parte da Corte Eleitoral, de pedidos para alteração de nomenclatura. O PSDC quer se chamar Democracia Cristã (DC), o PEN quer mudar para Patriota (PATRI) e o Partido Progressista (PP) quer trocar para Progressistas, mantendo a sigla PP.


 

Mais lidas do mês