Mídias Sociais

Política

Peça teatral Paixão de Cristo levou emoção ao público de Macaé em retorno de apresentações presenciais

Publicado

em

 

Promovida pela Secretaria de Cultura, a peça teatral Paixão de Cristo voltou a ser apresentada em Macaé em curta temporada neste feriado da Semana Santa, com 4 encenações realizadas entre os dias 14 e 17, levando muita emoção para o público que compareceu à estrutura montada em frente ao Hotel Imbetiba.

Com os temas tradicionais de amor ao próximo, perdão e compreensão, o espetáculo teve como um dos destaques o ator Diogo Drosa, que interpretou Jesus Cristo, e reforçou a mensagem de sua personagem e da própria peça.

“Essa é a mensagem que Cristo veio trazer. É de extrema importância essa peça, que traz muito amor, muita paz no coração das pessoas, e esperança, que é o que todos nós precisamos”, afirmou o ator após a apresentação da última sexta-feira, 15.

Para o secretário de Cultura, Leandro Mussi, que saudou o público na Sexta-Feira Santa em nome do prefeito Welberth Rezende (CIDADANIA), a apresentação é o 1º passo para a retomada presencial das manifestações culturais em Macaé, após o período de paralisação devido aos impactos causados pela pandemia do coronavírus.

“A nossa realidade é tirar a cultura para fora. Entre as ações, vamos fazer a reforma do teatro, com o tão sonhado elevador na Emart (Escola Municipal de Arte Maria José Guedes). Teremos a Escola de Dança no [Clube] Ypiranga. Estamos fazendo o credenciamento de todos os artistas da cidade, o que vai fomentar a cultura, e teremos o Festival de Música de Macaé”, listou Leandro Mussi.

Com direção de produção de Aldebaran Bastos e texto de Marcelo Saback, o espetáculo A Paixão de Cristo contou com alguns figurinos assinados por Ely Peron, renomado figurinista e carnavalesco que marcou a cultura macaense, falecido em dezembro de 2021.

O retorno das apresentações presenciais e ao ar livre, após 2 anos do período crítico da pandemia e medidas restritivas, foi aplaudido de pé pela população que pode acompanhar o trabalho da direção e do elenco formado por 35 artistas que são alunos ou ex-alunos da Emart.

Na apresentação de sábado, o prefeito Welberth Rezende, acompanhado da primeira-dama, Quelen Rezende, abriu a cerimônia e também destacou a importância do retorno das atividades culturais no município.

“A noite é marcada por muita emoção para todos nós. Depois de tantas dificuldades que a humanidade passou, todo esse movimento cultural já começou a avançar na cidade. Estamos, aos poucos, voltando a viver esses momentos maravilhosos. Nesse grande espetáculo, dos 35 atores temos 30 macaenses. Em breve teremos nossa exposição agropecuária, festivais de música, dança e teatro e outras festividades locais”, revelou Welberth Rezende.

Segundo a prefeitura, a produção contou com uma série de homenagens e referências, não somente do passado, mas também trazendo à tona debates sociais atuais e importantes, aproximando o espectador.

O município explicou ainda que, após 10 anos sem o espetáculo teatral na cidade, o diretor Aldebaran Bastos escolheu trilhar um caminho de resgate cultural, auxiliado pelo texto de Marcelo Saback, que também é ator, e ganhou reconhecido nacional por filmes como De Pernas Pro Ar e Loucas para Casar.

No elenco, além de Diogo Drosa, a peça teve o talento de Cláudia Byspo, Miliane Bodnarasec, Janaina Mendes, Marcelo Atahualpa, Josie Schuenck, Zé Guilherme Guimarães, Helen de Freitas, Isabella Cantarino, Gabriel Sednem, Leonardo Moreira, Jorginho de Paula, Rodrigo Sabará, Artur Santos, Gustavo Manhães, Douglas de Abreu, Douglas Mareli, Raphael Almeida, Rafael Kássius, André Pimentel, Adriano Uzah, Felipe Eliakim, Samuel Carvalho, Felipe Santos, Calixtoriginal, Luca Porto, Murilo Ique, Mislene Fontão, Marcella Leal, Jacqueline Óliveir, Druwska Lima, Ingrid Damasceno, Cybel Chagas, Júnior Moreno, e Públio Marcos.

Mais lidas da semana