Mídias Sociais

Destaque

Obras de duplicação da BR-101 entre Casimiro de Abreu e Macaé estariam liberadas para começar

Avatar

Publicado

em

 

Duplicação da rodovia é vista pela Firjan de Macaé como um dos 3 pilares para resolver os problemas logísticos da cidade

Tunan Teixeira

 

Quem acompanha o arrastado processo para a conclusão das obras de duplicação da BR-101, no trecho que liga Campos dos Goytacazes até Rio Bonito, pode ter levado um susto com a notícia da ampliação da Reserva Biológica União (Rebio), nesta semana, após publicação de um decreto da presidência da república.

Mas a Rebio, antes apontada pela Autopista Fluminense, concessionária responsável pela da rodovia como um dos maiores entraves para a conclusão de cerca de 46 km de extensão da rodovia que cortam a Reserva, não será mais problema, segundo informações de um importante empresário de Macaé.

“Eu falei com um funcionário da Arteris hoje de manhã (sexta, 9), e ele garantiu que as obras estão liberadas para começar imediatamente, e ele só estaria esperando alguns detalhes para fazer o anúncio oficial. É uma fonte confiável, porque está dentro desse processo da duplicação da BR-101 desde o início”, garante o empresário.

A informação também foi confirmada por outros setores empresariais, embora a própria Arteris, em nota, afirme que ainda aguarda liberação de licenciamento ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

“A Autopista Fluminense informa que o trecho da BR-101/RJ Norte a ser duplicado entre as cidades de Macaé (Trevo dos 40) e Casimiro de Abreu (Rio Dourado), com 46 km de extensão, segmento da rodovia que atravessa a Reserva Biológica União, encontra-se em processo de licenciamento ambiental. A Arteris mantém um diálogo constante com o IBAMA, o ICMBio e demais órgãos envolvidos para conseguir o licenciamento da obra, que é fundamental para a segurança dos usuários BR-101/RJ Norte, assim como para o desenvolvimento logístico da região. Sobre o novo decreto, a Autopista Fluminense aguarda as providências a serem tomadas pelo órgãos licenciadores para a continuidade do processo. A concessionária informa também que iniciará as obras no trecho tão logo receba autorização dos órgãos competentes, que conta com um investimento previsto para este segmento de R$ 300 milhões”, se limitou a dizer, em nota, a Autopista Fluminense, pertencente ao grupo Arteris.

A Rebio foi ampliada graças a um decreto da presidência da república, publicado na última segunda-feira, 5, Dia Mundial do Meio Ambiente, passando a ter um tamanho três vezes maior que o tamanho original, e abrangendo as cidades de Casimiro de Abreu, Macaé e Rio das Ostras, e passando dos atuais 2.548 hectares para 7.767 hectares, com o objetivo de proteger áreas remanescentes do bioma Mata Atlântica de terras baixas e de encostas.

Com a ampliação, segundo divulgou o ICMBio, Casimiro de Abreu passa a ter 63,77% (4.953,43 ha) da área total da Reserva, seguido de Rio das Ostras com 24,68% (1.917,24 ha) e Macaé com 11,55% (897,13 ha).

Outra boa notícia para os 3 municípios, além das que envolvem a conclusão as obras de duplicação da rodovia, vista como uma das principais soluções logísticas para a região, é que o Casimiro, Macaé e Rio das Ostras poderão, com a ampliação da Rebio, pleitear aumento no repasse do ICMS Ecológico junto ao governo do Estado do Rio, o que ampliará também a arrecadação dos municípios.

Segundo a Autopista Fluminense, 112 km de pistas duplicadas já foram entregues aos usuários, sendo 52,5 km na região entre Campos e Macaé e outros 59,5 km na região entre Casimiro de Abreu e Silva Jardim, além de outros 14,6 km ainda estarem em fase final de obras, com previsão de segmentos liberados conforme andamento dos trabalhos até o mês de julho.

“A Arteris acredita que o avanço das obras de duplicação da BR-101/RJ Norte é um importante incremento para a logística fluminense, garantindo melhores condições de trafegabilidade e proporcionando ainda mais segurança aos usuários”, concluiu a empresa.

Foto: Divulgação

Mais lidas da semana