Mídias Sociais

Política

Novo estudo da Firjan apresenta dados sobre a perda e a recuperação dos empregos em 13 cidades da região neste ano de 2020

Avatar

Publicado

em

 

A Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan) divulgou nesta semana a sua plataforma Retratos Regionais, que tem como base o saldo de empregos formais disponibilizados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia.

Os dados relativos ao Estado do Rio mostram uma recuperação de vagas no setor industrial, com a criação de 4.508 postos de trabalho no último mês de setembro, seguindo a trajetória de recuperação dos empregos em julho e agosto, quando forma criados, respectivamente, 1.311 e 4.346 vagas, somando mais de 10 mil empregos nos últimos 3 meses.

Com a nova alta, o segmento de Produtos de Metal recuperou todas as vagas perdidas entre março e junho, meses mais afetados pela pandemia do coronavírus, registrando um ganho líquido de vagas no ano, o que não acontece ainda somando 13 cidades da Região dos Lagos e do Norte Fluminense, no entorno da Bacia de Campos.

Somando as cidades de Araruama, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Campos dos Goytacazes, Carapebus, Casimiro de Abreu, Iguaba Grande, Macaé (na foto), Quissamã, Rio das Ostras, São João da Barra e São Pedro da Aldeia, o saldo de 2020 ainda é negativo, registrando a perda de 9.953 empregos.

Desde julho, porém, essas 13 cidades da região apresentam recuperação de empregos, totalizando 2.175 vagas criadas entre julho e setembro, mesmo assim ainda longe das 14.303 vagas perdidas entre março e junho, meses mais afetados pela pandemia.

No Estado do Rio, outros destaques são os Produtos de Borracha e Material Plástico, que recuperaram 66,7% de vagas entre julho e setembro, ajudando a indústria fluminense a recuperar 28,3% das vagas perdidas entre março e junho.

Diferente de meses anteriores, onde a Construção Civil foi a principal responsável por impulsionar o setor industrial do Estado, em setembro, a Indústria de Transformação foi quem mais contratou, com 2.565 novos postos de trabalho, seguida pela Construção Civil, pelos Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP) e pela Indústria Extrativista, com respectivamente 1.849, 75 e 19 vagas criadas.

Com a evolução acentuada no volume de empregos gerados todas as regiões fluminenses registraram saldo positivo em setembro, porém com diferentes níveis de recuperação.

Enquanto a Capital apresenta indicador de retomada próximo ao observado no Estado como um todo, com 25,6% dos empregos industriais já recuperados, na região Centro Sul, o setor industrial recuperou 82,3% das vagas perdidas.

Na Baixada Fluminense, 72,7% das vagas na Indústria e na Construção Civil fechadas durante a pandemia já foram reabertas, com destaque para a região de Nova Iguaçu, onde o indicador atinge 97,8% de recuperação.

A Firjan divide as cidades do entorno da Bacia de Campos em duas regiões diferentes. No Leste Fluminense, estão as cidades de Araruama, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Casimiro de Abreu, Iguaba Grande, Rio das Ostras e São Pedro da Aldeia, além de Maricá, Saquarema, Itaboraí, Silva Jardim, Tanguá, Rio Bonito, São Gonçalo e Niterói.

No Leste Fluminense o percentual de recuperação das vagas perdidas durante os meses mais afetados pela pandemia do coronavírus chegou a 53,0%, enquanto que, no Noroeste Fluminense, a recuperação foi de 44,8%.

Já no Centro Norte, a recuperação foi de 29,1%, e no Norte Fluminense, foi registrado o 3º mês consecutivo de saldo positivo de empregos durante a pandemia, tendo um desempenho em setembro quase 3 vezes maior que em agosto.

Para a Firjan, o Norte Fluminense conta as cidades de Campos dos Goytacazes, Carapebus, Macaé, Quissamã e São João da Barra, além de São Francisco de Itabapoana, Cardoso Moreira, Conceição de Macabu, e São Fidélis.

No total, incluindo todos os setores econômicos, o Estado do Rio abriu em setembro 8.901 vagas, 2º resultado positivo consecutivo, também mostrando aceleração em relação ao resultado de agosto, quando criou 5.297 empregos, lembrando que, em setembro, 71 dos 92 municípios fluminenses apresentaram saldo positivo de contratações.

O Comércio fluminense abriu 4.386 vagas e já recuperou 15,3% do total de vagas perdidas pela pandemia. O setor de Serviços, com saldo de 163 postos de trabalho, apresentou seu 1º resultado positivo desde fevereiro, mas permanece como o segmento que mais perdeu vagas no Estado em 2020.

Neste mês de setembro, os setores que apresentaram saldo positivo na criação de empregos nas 13 cidades da região foram de fabricação de álcool; cultivo de cana-de-açúcar; serviços de assistência social; atividades de atendimento hospitalar; e atividades profissionais, científicas e técnicas.

Já os setores que seguem com saldo negativo no último mês, foram de restaurantes e outros estabelecimentos do gênero alimentício e de bebidas; montagem de instalações industriais; comércio varejista de roupas e acessórios; hotéis e similares; e

manutenção e reparação de máquinas e equipamentos.

A plataforma Retratos Regionais apresenta ainda um painel setorial onde são disponibilizados dados específicos dos setores industriais, permitindo uma busca por município, apresentando um cenário geral de empregos, incluindo todos os grandes setores.

Mais lidas da semana