Mídias Sociais

Política

Mais 4 candidatos a presidente têm seus pedidos de registro de candidatura validados pelo TSE

Publicado

em

 

Casos do ex-presidente Lula (PT), que tenta Habeas Corpus para deixar a prisão em Curitiba, e do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), acusado dos crimes de racismo e xenofobia, serão julgados pelo Supremo Tribunal Federal no início de setembro

Mais quatro candidatos a presidência da república tiveram seus pedidos de registro de candidatura deferidos, ou seja, aceitos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nesta semana, totalizando 9 candidatos aptos a disputar as eleições gerais que acontecem no próximo dia 7 de outubro.

Nesta terça-feira, 28, o TSE validou as candidaturas de Ciro Gomes (PDT), Henrique Meirelles (MDB), Álvaro Dias (PODE), e João Goulart Filho (PPL), que se juntam a Cabo Daciolo (PATRI), Guilherme Boulos (PSOL), João Amoêdo (NOVO, Marina Silva (REDE) e Vera (PSTU), cujos pedidos de registro já haviam sido aceitos pela Justiça Eleitoral.

Restando pouco mais de um mês para o primeiro turno nas eleições, restam agora Eymael (DC), Geraldo Alckmin (PSDB), Jair Bolsonaro (PSL) e Lula (PT), que ainda aguardam julgamentos do TSE.

Disparado na liderança em todas as pesquisas de intenção de voto, o ex-presidente, que segue preso na Polícia Federal de Curitiba, no Paraná, espera que a justiça brasileira acate recomendação da Organização das Nações Unidas (ONU) permitindo sua candidatura até o final do julgamento de todos os seus recursos.

Também nesta semana, segundo a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), órgão oficial do governo federal, o Supremo Tribunal  Federal (STF) anunciou que votará o pedido de Habeas Corpus (HC) feito pela defesa de Lula nos dias 7 e 13 de setembro. Caso o HC seja aceito pelos ministros do STF, o ex-presidente deixaria a prisão, podendo cumprir com sua agenda de campanha.

Já o caso de Bolsonaro, acusado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) pelos crimes de racismo e xenofobia, e de incitar a violência contra mulheres, lésbicas, gays, bi e tran e intersexuais, será julgado pelo STF na próxima terça-feira, 4 de setembro.

Nesta terça, 27, os ministros da 1ª Turma do STF deixaram a plenária com um empate em 2 a 2, e o presidente da 1º Turma, ministro Alexandre de Moraes, pediu vista do processo antes de dar o voto de minerva sobre a questão.

Caso seja condenado, Bolsonaro, que já responde a duas ações no Supremo por ofensas à deputada federal Maria do Rosário (PT), fica ameaçado, assim como Lula, de ter sua candidatura barrada pela Justiça Eleitoral.


 

Mais lidas do mês