Mídias Sociais

Cidades

Macaé terá novo modelo de assistência pediátrica na saúde pública municipal

Avatar

Publicado

em

 

 

Visualizando um novo modelo para a assistência pediátrica no município, o Prefeito Aluízio anunciou em abril deste ano que mudanças viriam para a rede pública municipal, com a readequação de alguns espaços de atendimento.
E a promessa não demorou a sair do papel, marca deste governo de mudanças na cidade. Na última sexta-feira, 10, a prefeitura confirmou que, até o final de junho, Macaé terá um novo modelo de assistência médica pediátrica implantada.

Feito a partir de um estudo técnico, o novo modelo trará uma reestruturação do serviço, visando redimensionar a assistência médica infantil, e melhorar o atendimento, ampliando assim a eficácia e eficiência nos tratamentos.

“São 181 profissionais médicos pediátricos distribuídos nas unidades da rede municipal de saúde do município. Assim, o atendimento de emergência e urgência já está sendo direcionado para o Hospital Público Municipal (HPM) e Hospital Público Municipal da Serra (HPMS)”, informou a prefeitura.

Outra novidade é que na Unidade de Emergência Pediátrica (UEP) – que está em reforma e não fechada, como alegaram alguns políticos da oposição –, será implantada a Casa da Criança e do Adolescente, com atendimento médico especializado e serviços, como combate a carências nutricionais, entre outros.

Como o prefeito, Dr. Aluízio (PMDB), já tinha adiantado em abril, os demais atendimentos pediátricos serão distribuídos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) da Barra e do Lagomar, no Pronto Socorro do Aeroporto, e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), unidades mistas e ambulatoriais especializadas, na Estratégias Saúde da Família (ESF), no Centro de Atenção Psicossocial Infantil (Capsi) e no Programa DST/HIV/AIDS.

“Com esse novo modelo estamos reestruturando a rede pediátrica em espaços físicos próprios, de forma mais racional, e distribuindo os profissionais. É a integração da rede, buscando mais resolutividade nos tratamentos. Entendemos que toda urgência e emergência deve ser executada no hospital, que a partir da sua ampliação, tem condições de receber essa demanda, com uma enfermaria nova, além de ter a proximidade do CTI e centro cirúrgico.

Esse é um período de mudança e, dentro em breve, a UEP será um polo de assistência integral especializado, evitando superposições de ações. Lá também será polo de atuação para os futuros formandos e internos da UFRJ e estagiários da rede municipal de saúde. Além do atendimento especializado, será também um cenário de aprendizado”, acrescentou o Secretário de Saúde, Dr. Pedro Reis.

Ainda segundo a prefeitura, diversos atendimentos da rede municipal de saúde já foram reorganizados, como a oncologia, cirurgia cardíaca, residência médica, além da implantação da Casa da Vacina, Casa do Curativo, entre outros.

“Para implantação desse novo modelo de atendimento pediátrico, foi feito estudo com participação da Secretaria de Saúde, Associação Médica Macaense, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj - Seccional Macaé), e com profissionais da área, a fim de ampliar a assistência médica infantil na cidade”, revelou a prefeitura.

Com a ampliação do HPM e inauguração do anexo Hospital Público Municipal Irmãs do Horto (HPMIH), a enfermaria pediátrica ganhou mais espaço, podendo comportar agora uma nova enfermaria com mais 16 leitos.

Casa da Criança e do Adolescente – Com o início da reforma na UEP, a prefeitura acredita que será possível oferecer melhores serviços ambulatoriais para a população, abrigando os consultórios de especialidades pediátricas que contarão com alergista, nefrologista, cardiologista, neurologista, dermatologista, gastropediatra, clínicos e nutricionista.

Para o atendimento especializado os pacientes virão por encaminhamento médico. Já os clínicos terão agenda aberta e poderão ser acessados no próprio local, por meio de marcação de consulta. O atendimento será das 8h às 18h.

“A Casa da Criança também é uma das exigências do curso de residência médica em pediatra que vai ser possibilitado agora. Com essa integralização de ações, apontadas pelo estudo, estamos redistribuindo as equipes médicas e ocupando da forma mais racional possível esses espaços”, completou o Secretário de Saúde.

O estudo prevê que o atendimento da chamada “emergência branda” seja redirecionado para os bairros que concentram maior demanda populacional, como as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da Barra e Lagomar e Pronto Socorro do Aeroporto. Já o Hospital Público Municipal (HPM) terá uma ala própria para o atendimento infantil das emergências vermelhas (mais graves), com especialistas em diversas áreas.

Com a mudança, o município busca oferecer atendimento pleno às crianças, que passarão a ter, na Casa da Criança e do Adolescente, consultas agendadas com médicos especialistas.

Mais lidas da semana