Mídias Sociais


Política

Macaé sedia seminário para debater atendimento às mulheres vítimas de violência com cidades da região

Publicado

em

 

A Prefeitura de Macaé promoveu, na última terça-feira, 19, um seminário com o tema “Capacitação Integrada Violência Doméstico-Familiar e o Papel da Polícia Civil”, que reuniu 70 participantes de Quissamã, Casimiro de Abreu, e Rio das Ostras.

O evento aconteceu no auditório do Paço Municipal, na sede do Executivo, no centro da cidade, e chamou a atenção pela quantidade de viaturas policiais em frente ao prédio e também no Centro Administrativo Luiz Osório (Cealo).

Secretária de Políticas para as Mulheres, Jane Roriz reforçou a importância da ação de capacitação acontecer quando Macaé se prepara um convênio para a implantação do Núcleo Integrado de Atendimento à Mulher (NUIAM), especializado em assistir mulheres que sofrem qualquer tipo de violência.

O seminário contou com a participação de guardas municipais da Patrulha Maria da Penha, policiais militares da Patrulha da Polícia Militar (PM), agentes do Instituto Médico Legal (IML), e inspetores da Polícia Civil, representantes dos Centros Especializados de Atendimento à Mulher (Ceams).

Durante o encontro foram debatidas ações para desenvolver a capacidade de compreensão crítica sobre a problemática que envolve a mulher em situação de violência em cada cidade e também na região.

“O objetivo do seminário também é fomentar os laços entre agentes de segurança pública e demais integrantes da rede de acolhimento, com vistas a otimizar o atendimento às vítimas de violência doméstico-familiar”, explicou a Prefeitura de Macaé.

Expositora do seminário e delegada titular da Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM) de São Gonçalo, Carla Tavares (na foto) abordou “Aspectos procedimentais no atendimento às mulheres vítimas de violência doméstico-familiar” e a “Interface entre a Segurança Pública e os demais profissionais da rede de acolhimento”, quando destacou a importância do programa Papo de Responsa.

O evento foi aberto por Jane Roriz, que ressaltou o objetivo de construção conjunta de experiências e troca de vivência, visando o acolhimento da melhor forma da mulher vítima de violência, e pelo delegado titular da 123ª Delegacia de Polícia Civil (123ª DP) de Macaé, Márcio Caldas, que acrescentou a importância dos profissionais e instituições estarem conectados.

“Esta capacitação provoca a empatia que vai refletir no atendimento mais acolhedor por parte dos profissionais para conter esse tipo de crime contra a mulher. É importante prepararmos o policial para quebrar o paradigma do atendimento nos casos de violência doméstico-familiar”, enfatizou o delegado Márcio Caldas.

A delegada Carla Tavares também reforçou a importância dos profissionais que atuam no atendimento às mulheres vítimas saberem adequar a realidade delas à legislação, sem cometer excessos ou abusos.

“A rede existe para apoiar e proteger a mulher vítima. É para isto que estamos aqui e no nosso trabalho diário e também para o atendimento correto ao agressor”, disse Carla Tavares.

Ainda segundo a delegada, que citou estatísticas envolvendo as mulheres vítimas, que fazem parte do Dossiê Mulher, do Instituto de Segurança Pública (ISP), do governo estadual do Rio, a violência doméstica ocupa o 2º lugar nas chamadas para o 190 da Polícia Militar.

Mais lidas da semana