Mídias Sociais

Política

Macaé leva 6 toneladas de donativos da população para auxiliar vítimas da tragédia de Petrópolis

Publicado

em

 

Com objetivo de ajudar as vítimas da tragédia que atingiu a cidade de Petrópolis, na Região Serrana do Estado do Rio, a Prefeitura e Macaé enviou, neste fim de semana, cerca de 6 toneladas de donativos arrecadados pela população da cidade.

Os itens foram enviados pelas equipes da Defesa Civil e da Guarda Municipal neste domingo, 20, no início da manhã, com apoio técnico para as ações que seguem sendo realizadas no município atingido pelas fortes chuvas, na última semana.

As doações foram recebidas até às 19h deste sábado, 19, na Praça Washington Luiz, no centro da cidade, e contaram com água mineral, materiais de limpeza e higiene pessoal, além de alimentos não perecíveis, roupas e calçados.

Além da Secretaria Adjunta de Defesa Civil e da Guarda Civil, ligada à Secretaria de Ordem Pública, as ações contaram com a participação da Secretaria de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Acessibilidade.

A Prefeitura de Macaé lembra que os agentes da Defesa Civil também atuaram com apoio operacional na cidade de Petrópolis, em ações foram voltadas para cortes de árvores caídas e desobstrução de vias, além de mapeamento de riscos e imagens aéreas, depois dos deslizamentos provocados pelas chuvas na Região Serrana.

Segundo o Corpo de Bombeiros do Estado do Rio, a tragédia provocada pelas chuvas da última semana em Petrópolis já vitimou 176 pessoas, e além dos corpos encontrados, os bombeiros, que trabalham dia e noite no resgate das vítimas, conseguiram retirar 24 pessoas com vida.

De acordo com a Prefeitura de Petrópolis, 114 corpos tinham sido sepultados até a noite deste domingo, 20, conforme informações divulgadas pela Agência Brasil, da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), órgão oficial do governo federal, que acrescenta que mais de 100 pessoas seguem desaparecidas no município.

Ainda neste domingo, a Marinha terminou de montar um hospital de campanha no SESI Petrópolis, que funciona das 8h às 18h, com 12 leitos de enfermaria e 5 estações de atendimento ambulatorial, para pessoas que precisem de atendimento de baixa complexidade.

Em entrevista à Agência Brasil, o diretor do Centro de Medicina Operativa da Marinha, Kleber Coelho de Moraes Ricciardi, contou que a nova unidade de emergência vai apoiar os hospitais da cidade.

“Estamos aqui para apoiar a estrutura de saúde local, realizando atendimentos clínicos, laboratoriais, odontológicos, pediátricos, ortopédicos e pequenos procedimentos. Assim, deixamos os atendimentos de maior complexidade para os hospitais previamente estabelecidos”, contou Kleber Coelho de Moraes Ricciardi.

O apoio da Marinha à tragédia de Petrópolis começou na madrugada da última quarta-feira, 16, com 60 viaturas e 300 fuzileiros navais, médicos, enfermeiros e farmacêuticos, que realizam ações de desobstrução de vias, com uso de motosserras, caminhões e retroescavadeiras.

Mais lidas da semana