Mídias Sociais

Política

Má vontade de funcionários de plantão nesta terça-feira, 9, no HPM é alvo de críticas de vereador em Macaé

Publicado

em

 

Vereador Val Barbeiro (PHS) isentou o Prefeito Dr. Aluízio (sem partido) da culpa pelo mal atendimento que recebeu no hospital, mas não poupou críticas à administração do hospital e aos funcionários

Através de requerimento verbal em sessão ordinária desta quarta-feira, 10, na Câmara Municipal de Macaé, o vereador Val Barbeiro (PHS) relatou o mal atendimento que recebeu ao levar sua esposa para ser atendida no Hospital Público Municipal (HPM).

Sem nomear os servidores que estavam de plantão nesta terça-feira, 9, na unidade, o parlamentar contou que, ao levar sua esposa, que sofrera um acidente ao descer de um ônibus do Sistema Integrado de Transportes (SIT), e precisou de atendimento médico.

De acordo com Val, ela teria sofrido uma entorse na perna, e precisava de uma cadeira de rodas para sair do carro do vereador, mas os funcionários do hospital teriam agido de forma desinteressada, até ignorando a paciente.

“Eu cheguei no setor [da emergência do anexo] e não tinha ninguém. Entrei para dentro do corredor, corredor tudo vazio, aí tinham 2 funcionários sentados, e eu falei, meu amigo, eu preciso de uma cadeira de rodas para tirar minha esposa do carro. Eles continuaram sentados; meu amigo, estou precisando de uma cadeira de rodas para tirar um paciente do carro. Aí ele falou, ‘cadeira não tem, tá lá para frente’. Tudo bem, meu amigo, deixa que eu pego. Fui lá, peguei a cadeira de rodas, atravessei pelo corredor, fui lá, tirei minha esposa do carro e entrei com ela e o funcionário falou, ‘não, tem que levar lá para cima’.  Levo para o setor lá de cima, quando cheguei lá, a mesma coisa”, relatou o vereador, que, no último domingo, 7, concorreu a deputado estadual e não se elegeu.

Val contou ainda que ao chegar ao prédio principal do HPM, os funcionários do hospital negaram acesso ao parlamentar e mais uma vez dificultaram o acesso dele e da esposa à uma simples cadeira de rodas.

O vereador criticou a administração do hospital, que, em sua opinião, devia fiscalizar melhor a qualidade do atendimento que os pacientes da unidade estão recebendo dos funcionários, questionando que se uma autoridade municipal recebe aquele tratamento, imagine os demais pacientes.

“O funcionário não está nem aí para os pacientes. A verdade é essa. Uma administração que precisa rever isso aí. Para isso que pedi o requerimento. Tem que botar alguém com capacidade para administrar. Eu não estou falando do executor. Talvez muita gente fique falando do executor, do executor, mas a indicação é errada. Administração horrível, atendimento horrível, comigo, e eu tenho certeza, que com as demais pessoas”, reclamou.

Por fim, Val contou que só conseguiu atendimento para sua esposa com a chegada inesperada do próprio prefeito da cidade, Dr. Aluízio (sem partido), que atua como médico na unidade, e recebeu as críticas do vereador a respeito dos serviços prestados pelos funcionários do plantão.

“Quem chega depois que a minha esposa estava em cima da maca? Aluízio, pega, prefeito da cidade, e empurra a maca para fazer o atendimento. Eu cheguei a falar com ele, está vendo só? Parece que as pessoas não gostam do senhor. Porque o atendimento é horrível, a administração não funciona, e ele trabalhando até altas horas lá no HPM. Então, é para rever essas indicações de setores administrativos do setor da Saúde para botar pessoas com capacidade, pessoas que têm sensibilidade, pessoas que têm ética, moral de atender paciente como ser humano, não como uma coisa qualquer, principalmente na área da saúde, que é primordial”, concluiu o parlamentar.


 

Mais lidas do mês