Mídias Sociais

Política

Justiça Eleitoral confirma eleição do ex-vereador de Macaé, Chico Machado, como deputado estadual do Rio

Avatar

Publicado

em

 

Da esquerda para a direita, presidente interino na Alerj, André Ceciliano (PT), deputado estadual eleito, Welberth Rezende (PPS), o novo governador, Wilson Witzel (PSC), e o mais novo eleito deputado estadual, Chico Machado (PSD), em passagem do governador pela região nesse início de ano

O Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro (TRE-RJ) confirmou nesta quinta-feira, 24, que o ex-vereador de Macaé, Chico Machado (PSD), ficará com uma das cadeiras da Assembleia Legislativa do Estado (Alerj) na legislatura 2019-2022.

O resultado veio após uma retotalização dos votos para deputado estadual nas Eleições 2018 que colocou o candidato do PSD na lista de eleitos, no lugar de Pedro Ricardo (PSL), que ficou como suplente.

Realizado na sede do TRE-RJ, na quinta, o procedimento foi determinado por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que deferiu a candidatura de Felipe Peixoto (PSD), cujos votos não haviam sido computados devido ao indeferimento de seu registro no primeiro grau.

Com a decisão da Corte Superior Eleitoral, que tornou válidos os votos de Felipe Peixoto, que se tornou suplente, e provocou a redistribuição das vagas entre os partidos ou coligações, Chico Machado fará companhia a Welberth Rezende (PPS), vereador de Macaé eleito deputado estadual no pleito do ano passado.

A mudança também reduziu os números da bancada do PSL, que caiu de 13 para 12 deputados, mas que ainda segue como a maior dentro da Alerj nesta próxima legislatura. Eleito pelo PR em 2016, Pedro Ricardo, agora no partido dos Bolsonaro, volta a ocupar o cargo de vice-prefeito de Saquarema.

Aliás, a situação do agora suplente Pedro Ricardo não está nada boa. Depois de perder a cadeira no Legislativo estadual, o vice-prefeito terá que entrar numa briga judicial para se manter no Executivo, já que a Justiça Eleitoral cassou seu mandato, bem como o da Prefeita Manoela Peres (PODE), em decisão em primeira instância.

Em Macaé, com a posse de Welberth, no início de fevereiro, o primeiro da lista de suplentes para assumir uma vaga na Câmara macaense é o de Reginaldo do Hospital (PROS), que somou 1.271 votos nas eleições municipais de 2016.

Ficando na 6º posição dentro da coligação PPS, PROS e PSDB, Reginaldo deve assumir uma cadeira na Casa assim que a posse de Welberth na Alerj deixar sua cadeira aberta para o suplente. Com a entrada iminente de Reginaldo, a Câmara de Macaé voltará para a o 3º ano legislativo desse mandato com duas mudanças em relação ao plenário que terminou 2018. Além de Reginaldo na cadeira de Welberth, Luciano Diniz (MDB) já tomou posse no lugar de Guto Garcia (MDB), que reassumiu a Secretaria de Educação do município ainda no final do ano passado.

Mais lidas da semana