Mídias Sociais

Política

Justiça Eleitoral atualiza aplicativo gratuito de uso de eleitores para fiscalização de irregularidades nas eleições

Publicado

em

 

Nova versão do aplicativo Pardal já está disponível para download em smartphones e tablets nas lojas virtuais Apple Store e Google Play, para IOS e Android

A Justiça Eleitoral lançou na última quinta-feira, 23, a versão 2018 do Pardal, aplicativo desenvolvido para uso gratuito em smartphones e tablets, e que possibilita aos eleitores denunciarem infrações durante as campanhas eleitorais, atuando como fiscais da eleição e importantes atores no combate à corrupção eleitoral.

O aplicativo, que á está disponível para download nas lojas virtuais Apple Store e Google Play, pode ser utilizado para noticiar diversos tipos de infrações eleitorais, como as relativas à propaganda eleitoral, a compra de votos, o uso da máquina pública, crimes eleitorais e doações e gastos eleitorais.

Além do aplicativo móvel, o Pardal tem uma interface web, que será disponibilizada nos sites dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) para envio e acompanhamento das notícias de irregularidades.

Nas denúncias feitas por meio do Pardal, deverão constar, obrigatoriamente, o nome e o CPF do cidadão que as encaminhou, além de elementos que indiquem a existência do fato, como vídeos, fotos ou áudios.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a autoridade responsável por apurar a notícia de infração poderá manter em sigilo as informações do denunciante, a fim de garantir sua segurança.

“A nova versão apresenta as mesmas funcionalidades da anterior, de 2016, com algumas melhorias: reformulação da infraestrutura e atualizações tecnológicas para aperfeiçoamento da performance do programa; possibilidade de registrar denúncias também contra partido e coligação; e aprimoramentos do sistema de triagem das denúncias, a fim de facilitar o trabalho de apuração por parte dos TREs e do Ministério Público Eleitoral (MPE)”, explicou o TSE.

O Tribunal informou ainda que o Pardal não receberá supostas irregularidades na propaganda eleitoral veiculada nas emissoras de TV ou no rádio e na internet, bem como notícias de infrações relacionadas a candidatos aos cargos de presidente e vice-presidente da república. Nesses casos, o eleitor deverá encaminhar as eventuais denúncias pelos meios tradicionais.

A atualização de versão do aplicativo está prevista na Portaria TSE nº 745, de 22 de agosto de 2018, assinada pela presidente do TSE, ministra Rosa Weber.


 

Mais lidas do mês