Mídias Sociais

Política

Ibascaf tem orçamento de 50 milhões mas atendimentos continuam suspensos em Cabo Frio

Avatar

Publicado

em

 

Mais um problema para o cidadão cabofriense enfrentar. Se já não bastassem todos os outros problemas que vêm acontecendo, agora nem da saúde o servidor pode cuidar. E esse problema não é novo, ele já vem se arrastando desde o ano passado. O Ibascaf (Instituto de Benefícios e Assistência aos Servidores Municipais de Cabo Frio) não está mais realizando os atendimentos que deveria para o servidor. O detalhe é que os descontos em folha continuam acontecendo, mas serviço que é bom, nada.

O Ibascaf teve orçamento aprovado para este ano no valor de R$ 50.307.200,00 (cinqüenta milhões trezentos e sete mil e duzentos reais). Mas os atendimentos do Plano de Assistência Médica e Hospitalar (Pasmh) dos servidores municipais foram suspensos. Mas mesmo assim, o servidor continua sendo descontado, como se o Plano estivesse funcionando.

Oficialmente o serviço está sem atender ao funcionalismo desde outubro de 2015. Em entrevista concedida ao Programa Amaury Valério, da Rádio Ondas, na última quarta-feira (06), o prefeito Alair Corrêa (PP) admitiu que o desconto ao servidor é feito, mas que não repassa a verba ao Instituto.

O prefeito afirmou ainda que o complemento mensal que faz para a folha de pessoal da autarquia compensaria a falta de repasses: “A verba do Pasmh não estamos repassando realmente. Se não repassamos os recursos do plano, que é de R$ 300 mil, nós completamos a folha de pagamentos, que é R$ 1,8 milhão. É uma questão de bom senso”, declarou o prefeito.

Os descontos no contracheque do servidor continuam sendo efetuados e têm percentuais de 2,5% para funcionário e cônjuge e de 0,25% para cada dependente. Pra efeitos de comparação, o servidor sem dependente que ganha mil reais, tem descontado direto do seu contracheque o valor de 25 reais, que deveria ser destinado à manutenção do Plano.

 

Mateus Marinho

Mais lidas da semana