Mídias Sociais

Cidades

Guardas municipais e agentes de trânsito terão que trabalhar mais em Macaé

Publicado

em

 

Projeto de lei do governo que aumentou carga horária dos servidores foi aprovado na Câmara

Tunan Teixeira

Foi aprovado na Câmara Municipal de Macaé, na manhã desta terça-feira, 24, o Projeto de Lei 012, de 2017 (PL012/17), que propunha a alteração da carga horária dos guardas municipais e dos agentes de trânsito da Secretaria de Mobilidade Urbana, que agora, trabalharão por escala de 24 por 72 horas.

Apesar do texto original, de autoria do Executivo, incluir também as agentes da Defesa Civil, uma emenda dos vereadores, Dr. Eduardo Cardoso (PPS) e Julinho do Aeroporto (PMDB), presidente e vice da Câmara, suprimiu do projeto a inclusão da categoria.

Para defender a matéria, Julinho falou sobre a possibilidade de uma negociação com o governo para a criação de Coordenadoria da Defesa Civil, separando o órgão da atual Secretaria de Ordem Pública, sob a alegação de tentar aumentar o orçamento destinado às políticas públicas ligadas à categoria.

“Quem sabe com a criação da coordenadoria, a gente não possa rediscutir o assunto”, justificou Julinho.

Mesmo com a proposta do governo de aumento da jornada das 3 categorias, outra emenda, do vereador Welberth Rezende (PPS), reduziu de 192, como estava no texto base, para 176 horas mensais, atendendo exigência do estatuto dos servidores.

Mesmo assim, com a sala de sessões lotada de guardas municipais, que ocupavam mais da metade das cadeiras da assistência, os parlamentares governistas foram ouviram as críticas dos servidores presentes e da bancada de oposição, que se manifestavam contra o projeto e contra o governo.

Sem se incomodar com as vaias da assistência, os vereadores aprovaram as emendas e o PL012/17, por 11 votos favoráveis a 6 votos contrários, em raro momento neste ano em que todos os parlamentares estiveram presentes quase que integralmente à uma sessão ordinária.

Depois de aprovada a matéria, os guardas municipais deixaram a sala de sessões fazendo muito barulho, demonstrando seu descontentamento, principalmente, com Welberth, que, supostamente, teria grande número de eleitores dentro da categoria. Frases como “obrigado, Welberth”, “as eleições vêm aí”, e “depois quer pedir voto”, puderam ser ouvidas, em tons de ameaça, na saída dos guardas.

Logo em seguida, a sessão foi encerrada pelo fim do tempo regimental. Os vereadores voltam a se reunir em sessão ordinária nesta quarta-feira, 25, na nova sede do Legislativo, no Palácio Natálio Salvador Antunes, na Virgem Santa.

Mais lidas da semana