Mídias Sociais

Política

Governador do Rio renova aliança com bancada do PSL na Alerj em jantar sem seus principais críticos

Avatar

Publicado

em

 

No centro, Governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), que se reuniu com integrantes do governo e com alguns dos futuros deputados estaduais da bancada do PSL em busca de renovar apoio

Tentando reverter os estragos de sua aproximação com o presidente interino da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), André Ceciliano (PT), o Governador Wilson Witzel (PSC) se reuniu com o a bancada do PSL, partido da família Bolsonaro.

Em sua conta no Twitter, o governador, que vinha sendo criticado pela deputada estadual Alana Passos (PSL) pela aproximação com o petista, postou uma foto ao lado de integrantes de seu governo e da bancada do PSL, para anunciar que os deputados estarão junto com o governo.

“Recebi a bancada do PSL para um jantar no Palácio Laranjeiras, em que os deputados afirmaram seu apoio e a participação em nossa base na Alerj. Vamos juntos mudar o Rio”, escreveu o governador.

Curioso notar na foto a ausência justamente de Alana, considerada porta-voz do clã Bolsonaro no Rio e uma das vozes a criticar com mais frequência a aproximação entre o governador e Ceciliano, e do indicado como líder da bancada do partido na Alerj, Anderson Moraes (PSL).

O sargento da PM Renato Zaca, apontado desde já como um dos líderes da bancada da Bala na Alerj, também não está na foto, assim como Filippe Poubel (PSL), que chegou a ter o nome ventilado como possível candidato à presidência do Legislativo fluminense.

No entanto, Poubel disse que não compareceu ao jantar por estar fora do Rio, e segundo a assessoria do Palácio Guanabara contou à colunista do jornal Extra, do Rio, Berenica Seara, todas as ausências foram justificadas.

No início do ano, a informação que vinha dos bastidores da Alerj, era de que, com a aproximação do governador com Ceciliano, a bancada antipetista do PSL, maior bancada de um partido na Alerj, caminhava para se tornar independente, ficando fora da bancada do governo, o que parece, por hora, estar resolvido.

Mais lidas da semana