Mídias Sociais

Política

Globais são convocados pelo TSE para se manifestarem depois de ação movida pelo PT

Publicado

em

 

Rede Globo, Luciano Huck e Faustão têm 5 dias para se defenderem das acusações de campanha eleitoral antecipada

A Rede Globo e seus funcionários, os apresentadores, Luciano Huck e Faustão, terão 5 dias para se manifestarem sobre a ação movida contra eles pelo PT, que os acusa de campanha eleitoral antecipada durante participação em programa da emissora.

A convocação foi feita pelo ministro Napoleão Nunes Maia, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que deu prazo de 5 dias para que a Rede Globo e seus apresentadores se defendam das acusações do partido, que considera que houve campanha eleitoral antecipada durante a participação de Huck no programa Domingão do Faustão, que foi ao ar em 7 de janeiro deste ano.

Durante o programa, Luciano Huck, que é citado em diversas pesquisas como candidato a presidente nas próximas eleições, de outubro deste ano, falou de política e combate à corrupção, o que, no entendimento do PT, pode ser considerado campanha eleitoral.

“Entendo que, para melhor e mais ponderada apreciação da situação processual e material que ora se manifesta, cumpre determinar, o que ora faço, sejam as partes Representadas regularmente intimadas para manifestarem-se no prazo de 5 dias, querendo-o, conforme entenderem de seu direito ou da defesa de seus interesses”, diz o despacho do ministro do TSE.
O TSE ressalta que, apesar de ter declarado que não será candidato, o nome de Luciano Huck continua aparecendo nas pesquisas de intenções de voto, como acontece em pesquisa recente feita pelo Datafolha, divulgada na última quarta-feira, 31 de janeiro, em que o apresentador empata com o Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), em um cenário sem a candidatura do ex-presidente Lula (PT).

O processo do PT contra os apresentadores e a emissora foi protocolado junto à Justiça Eleitoral no último dia 8 de janeiro. Na ação, o partido alegou que Huck cometeu e se beneficiou de abuso de poder econômico e dos meios de comunicação durante sua participação no programa dominical da TV Globo.

A representação foi assinada pelos líderes do PT na Câmara, Paulo Pimenta (PT-RS), e no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ), em que eles pedem a inelegibilidade de Huck ou a cassação do seu eventual registro de candidatura, além de pagamento de multa por parte dos apresentadores e da emissora.

Segundo nota publicada no site UOL, também em 8 de janeiro, a TV Globo alega que “cumpre rigorosamente a legislação eleitoral”, e não apoia nenhum candidato, além de ter uma regra que “impede que contratados da emissora que desejem se candidatar permaneçam no ar em qualquer programa”.

Tunan Teixeira

Foto: Reprodução


 

Mais lidas do mês