Mídias Sociais


Política

Firjan Norte Fluminense debate proposta de nova concessão da BR-101 e suas demandas para a região

Publicado

em

 

A Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan) debateu, nesta quinta-feira, 2, o futuro de investimentos na duplicação e nas intervenções de segurança na BR-101, que é considerado o principal modal de transporte das atividades econômicas do Norte Fluminense.

O encontro aconteceu em Macaé e reuniu instituições empresariais e integrantes do poder público que representam a base econômica da região, responsável pela retomada do desenvolvimento do Estado do Rio, segundo a Firjan.

A nova licitação para administração da rodovia, já em planejamento no Ministério de Infraestrutura, do governo federal, foi pauta do encontro que contou com a participação de representantes da Arteris, empresa que anunciou a devolução da concessão do trecho de 322 quilômetros (km) da BR -101, entre Campos dos Goytacazes até a Ponte Rio-Niterói.

De acordo com a empresa, a devolução do trecho aconteceu por causa da inviabilidade econômica encontrada pela empresa para cumprir todos os investimentos previstos pelo contrato assinado em 2008.

Segundo a Firjan, para Macaé, o interesse principal é garantir, através da nova concessão, a realização das obras de duplicação dos 46 km que ligam a cidade até Casimiro de Abreu, que corta área de preservação da Reserva Biológica da União (ReBio), e o ponto considerado “sensível”, localizado no Brejo da Severina.

“A BR -101 possui um papel fundamental na consolidação dos mais de 70 bilhões de reais de investimentos da iniciativa privada previstos para o nosso Estado. E este encontro é essencial para debatermos medidas que precisam ser executadas para garantir segurança e intervenções necessárias na manutenção da rodovia no trecho que corresponde a Macaé”, destacou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, Rodrigo Vianna.

Segundo a Firjan, a elaboração da nova proposta de concessão já foi iniciada pela equipe da Empresa de Planejamento e Logística (EPL) do governo federal, que promove estudos sobre mobilidade e custos de operação da rodovia.

No planejamento apresentado pela EPL, a concessão do trecho Norte da BR- 101 pertence ao chamado Lote 1, que inclui também a BR- 356, que liga São João da Barra à cidade de Viçosa, em Minas Gerais (MG).

“O nosso objetivo aqui é ouvir as necessidades da região, avaliar os cálculos sobre custos que impactam nos valores do pedágio e definirmos juntos o que é viável e necessário para ser executado. Outros encontros como esse serão realizados para que possamos apresentar o passo a passo desse planejamento e discutir todos os pontos necessários para a relicitação”, afirmou Rafael Antonio Cren Benini, diretor de planejamento da EPL.

Em apresentação durante o debate, consultor técnico da Federação de Comércio do Estado do Rio (Fecomércio-RJ), Delm Pinho, ressaltou as demandas estruturais para a resolução dos principais gargalos de mobilidade da BR-101, como o trevo Rio-Manilha, e a adequação dos trevos de acesso à rodovia, até a rotina das atividades econômicas da região, como a logística do mercado de óleo, gás e energia.

“Há questões importantes relacionadas à dinâmica econômica da região que precisam ser levadas em consideração neste novo estudo de concessão”, destacou Delmo Pinho.

O encontro reuniu também membros do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), dos Sindicatos do Comércio Varejista (Sincomércios), de Macaé, Rio das Ostras e Conceição de Macabu, além das instituições empresariais locais que compõem o Repensar Macaé, como a Associação Comercial e Industrial de Macaé (ACIM) e a Comissão Municipal da Firjan.

Mais lidas da semana