Mídias Sociais

Política

Fim da desincompatibilização acaba com especulações e Prefeito de Macaé não será candidato a governador

Publicado

em

 

Prefeito de Macaé, Dr. Aluízio (PMDB), segue à frente da prefeitura e encerra especulações da oposição de que poderia abandonar a cidade para concorrer ao Governo do Estado do Rio

Caiu por terra mais uma máxima usada pela oposição na Câmara Municipal de Macaé, quando no último sábado, 7, se encerrou o prazo para a desincompatibilização para os ocupantes de cargos no Executivo concorrerem nas eleições de outubro desse ano.

Desde o início do mandato, em 1 de janeiro de 2017, os oposicionistas da Câmara macaense usavam de especulações para acusar de “campanha extemporânea”, ou seja, fora de época, certas medidas do Prefeito de Macaé, Dr. Aluízio (PMDB), tomadas em benefício da cidade.

Como o prazo se encerrou no último sábado, o prefeito demonstra não apenas que não tem interesse em concorrer ao Governo do Estado do Rio, como seus adversários políticos no Legislativo fizeram parecer, como também segue atrelado aos seus compromissos de campanha e com foco exclusivamente nos problemas do município.

Nesta terça-feira, 10, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), órgão oficial de comunicação do governo federal, publicou uma lista com 7 governadores e 4 prefeitos de grandes capitais que deixaram seus mandatos de olhos nas eleições deste ano.

“A lei eleitoral exige que os chefes do Executivo renunciem 6 meses antes da votação para se candidatar a outro cargo”, explicou a EBC.

Entre eles, está o agora ex-governador da Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD), que já havia entregado o cargo ao vice em fevereiro; e dos também agora ex-governadores, de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB); de Goiás, Marconi Perillo (PSDB); do Paraná, Beto Rixa (PSDB); de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB); e de Sergipe, Jackson Barreto (PMDB).

Alckmin deixou o cargo para concorrer à presidência da república e já oficializou sua pré-candidatura, juntamente com outros 14 nomes, enquanto os demais estão de olho em uma vaga no Senado Federal.

Além dos que abandonaram o Executivo estadual, também há os que deixaram o Executivo municipal em 4 capitais do país, entre eles os agora ex-prefeitos, de São Paulo, João Dória Jr. (PSDB-SP); de Palmas, Carlos Amastha (PSB-TO); de Rio Branco, Marcos Alexandre (PT-AC); e o de Natal, Carlos Eduardo (PDT-RN).


 

Mais lidas do mês