Mídias Sociais

Política

Estado do Rio e municípios iniciam retorno às aulas da rede pública ainda discutindo volta das atividades presenciais

Avatar

Publicado

em

 

Recomeçaram nesta segunda-feira, 8, as aulas das redes públicas municipais e também da rede estadual, ainda sem atividades presenciais devido à pandemia do coronavírus, que provocou a paralisação das aulas no Estado do Rio desde 16 de março de 2020.

As aulas já são referentes ao ano letivo de 2021, e neste retorno, as escolas irão acolher os alunos em grupos e em horários pré-agendados para a realização de uma avaliação socioemocional, algo que proporcionará um diagnóstico inédito para a rede pública estadual de ensino.

Segundo a Secretaria Estadual de Educação do Rio, a avaliação tem o objetivo de entender como está o aluno, sua motivação, e expectativas, após quase 1 ano fora da sala de aula devido às medidas de prevenção ao contágio do coronavírus.

A pasta da educação estadual também explicou que durante a ida dos estudantes às unidades para a realização da avaliação, também serão entregues o plano de estudo do 1º semestre e o material pedagógico impresso.

“O mês de fevereiro será de preparação pedagógica e de acolhimento da comunidade escolar. É um momento importante, especialmente para os alunos, já que a maior parte deles passou quase 1 ano afastado e precisa reestabelecer o vínculo com os professores, diretores e colegas. Tudo será feito com muita segurança. Nossas unidades estão com os protocolos sanitários implementados e as unidades farão o agendamento dos grupos de alunos para evitar qualquer aglomeração”, detalhou o secretário estadual de Educação do Rio, Comte Bittencourt (CIDADANIA).

A segunda-feira também foi de retorno das aulas na rede pública municipal de ensino de Macaé, que contará com atividades e ações pedagógicas não presenciais e com ações de acolhimento especial para receber os alunos na volta às aulas.

Neste início do ano letivo de 2021, o objetivo da Secretaria de Educação de Macaé é apresentar, conforme planejamento de cada escola, todo conteúdo será apresentado, conforme planejamento de cada escola.

Entre as ferramentas disponibilizadas pela pasta municipal para a Educação Infantil estarão apostilas, atividades impressas e digitais, plataformas virtuais, estudos dirigidos, correio eletrônico (e-mail), redes sociais, videoaulas, audiochamadas, videochamadas, livros didáticos e paradidáticos, entre outras.

“O objetivo é assegurar a manutenção do vínculo afetivo e desenvolvimento do ensino aprendizagem, visando à continuidade da rotina de estudos, para garantir a permanência na escola”, explicou a Secretaria de Educação de Macaé.

A secretária de Educação do município, Eliane Araújo, revelou que a rede pública está pronta para a volta às aulas, já que o acolhimento aos professores ocorreu durante a semana passada, por meio de encontros virtuais em cada escola municipal.

Segundo ela, a proposta foi reforçar as habilidades socioemocionais dos profissionais que atuam nas 107 escolas municipais, já que o início do ano letivo de 2021 será marcado pela reorganização curricular e por atividades integradas.

“O importante neste processo é que os vínculos sejam fortalecidos, para que o trabalho aconteça da melhor forma”, acrescentou a gestora da Educação em Macaé.

Enquanto lida com o retorno das aulas, o município também continua realizando reuniões com diversos atores do setor da Educação para tratar da volta das atividades escolares presenciais, que já foram liberadas pelo governo estadual, de acordo com as cores das bandeiras de contágio de cada município fluminense.

Enquanto as aulas não voltam presencialmente em Macaé, a prefeitura segue pagando o auxílio emergencial do Bolsa Alimentação, como forma de compensar a falta da merenda escolar, considerada a principal alimentação diária de crianças e jovens matriculados na rede pública municipal em situação de vulnerabilidade social.

Já na rede pública estadual, a pasta responsável pela educação fluminense explicou que, com o retorno das aulas liberados, os kits alimentação dos alunos referentes à merenda escolar também serão entregues por agendamento direto com as unidades.

A previsão da Secretaria Estadual de Educação do Rio é que, a partir do próximo dia 1 de março, as aulas sejam realizadas no modelo híbrido, em que os alunos terão atividades virtuais e presenciais, com turmas em sala de aula, em dias alternados, entretanto, a pasta não afasta a possibilidade ter apenas ensino virtual, dependendo das orientações do Comitê Científico e das autoridades de Saúde.

Mais lidas da semana