Mídias Sociais

Política

Em visita a Campos, Wilson Witzel inaugura primeira obra de seu governo e garante olhar para o interior

Publicado

em

 

Governador do Rio que tomou posse há apenas 16 dias, Wilson Witzel (PSC) se emocionou ao ver seu nome na placa de inauguração da nova sede do Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente (Criaad)

O Governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), esteve em Campos dos Goytacazes, em sua primeira visita oficial à cidade após ser empossado, em 1 de janeiro, para fazer a primeira entrega de obra em sua gestão.

Participando da inauguração da nova sede do Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente (Criaad), unidade do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) que atenderá jovens que cumprem medida socioeducativa de semiliberdade, no município, Witzel reafirmou que não irá se esquecer das regiões afastadas da capital.

Ele ficou emocionado ao ver seu nome em uma placa como governador, a ao lado de secretários estaduais, prefeitos da região e representantes do Judiciário e da segurança pública, falou sobre a obra da Ponte da Integração, a redução da criminalidade, a estrutura da educação e a recuperação financeira do Estado.

“Fui juiz em Itaperuna, passei por Campos várias vezes como juiz substituto, como defensor público e ver o nosso Estado sofrendo, sendo dilapidado por gente que não presta, por gente que não tem respeito ao voto que recebeu, me dava uma agonia muito grande. Tenho certeza que faremos muito ainda pela região de Campos, porque eu tenho um olhar especial para o interior. Sou nascido no interior do Estado de São Paulo e sei da importância de se prestigiar o interior. E os senhores e senhoras certamente não serão abandonados. Estaremos sempre aqui acolhendo as demandas, na medida do possível, para que a gente possa trazer investimentos para a região”, afirmou Witzel ao site do jornal campista Folha1.

O governador aproveitou a presença na região que concentra o maior centro produtor de óleo e gás no Estado do Rio fora da capital para falar sobre a importância de “trazer de volta as empresas de petróleo para os campos maduros e, com isso, também trazer de volta o emprego”.

A nova unidade, idealizada pela Juíza Daniela Binato, funcionará em um terreno doado pela Secretaria Estadual de Educação, ao lado do Colégio Estadual José do Patrocínio, e terá capacidade para atender 60 adolescentes.

“O que estamos vendo é o resultado de uma longa batalha. Tiramos leite de pedra para conseguirmos instalar uma unidade com o que há de mais moderno em termo de medidas socioeducativas. Essa obra é o legado que ficar para Campos, que passa a ser referência em medida socioeducativa”, comentou a juíza.

Outro que falou sobre a importância da nova unidade para o município e para o interior do Estado, foi o diretor do Degase, André Monteiro, que discursou sobre a nova administração do Estado.

“Este é um momento muito importante para a sociedade. Estamos vivendo um novo tempo, renovando esperanças para dias melhores. Vamos sonhar juntos para levar aos jovens que estiverem aqui uma nova visão de vida para que eles possam estar inseridos na sociedade”, comentou.

Também presente ao evento, o Prefeito de Campos, Rafael Diniz (PPS), também falou sobre a importância da união entre os governos, estadual e municipal, para melhorar a qualidade de vida da população.

“Independente de diferenças partidárias, temos um compromisso só, que é trabalhar pelo bem-estar da população. O Criaad passa a ofertar dignidade para os jovens, que muitas vezes estão começando sua vida e precisam de amparos. Nós temos que acreditar na transformação do Estado”, disse o prefeito.

A instalação do Criaad ao lado do colégio chegou a ser alvo de críticas e manifestações por parte dos alunos e professores da unidade escolar, mas nesta terça-feira, 15, o Secretário Estadual de Educação, Pedro Fernandes), explicou que houve um entendimento em relação à questão, mas que a pasta ficará atenta.

“Sobre essa questão de pessoas contrárias a instalação do Criaad neste espaço, houve um entendimento com a Secretaria de Educação na gestão passada, mas ficaremos atentos. Só não podemos esquecer a importância da ressocialização dos jovens, que é uma bandeira defendida pelo governador Wilson Witzel”, comentou Pedro, que também disputou as eleições ao governo do Estado, mas ficou no primeiro turno, e após as eleições, deixou o PDT.

Outra obra do governo estadual ainda na área de desenvolvimento do interior é a Ponte da Integração, que irá ligar São João da Barra a São Francisco de Itabapoana, e que está oficialmente paralisada.

“O custo para terminar a ponte é algo em torno de 30 milhões de reais. Não é um custo elevado, mas é preciso vontade política para fazer. Estou com o Secretário de Obras estudando possibilidades. Nós vamos terminar agora em Nova Iguaçu 2 viadutos, que são valores muito menores do que esse. E essa Ponte da Integração, ela está na minha mesa de trabalho para que a gente possa sentar com o secretário e prover recursos para concluir essa obra, que certamente vai trazer um retorno econômico e um conforto para os passageiros”, disse durante a inauguração do Criaad.

Presente ao evento assim como a Prefeita de São Francisco de Itabapoana, Francimara (PSB), a Prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), pediu para a nova gestão do Estado que a obra não pare por completo.

“O governador mencionou a obra da ponte e acredito que ela não irá ficar sem terminar, até porque são mais de 30 anos de espera por essa estrutura que só trará desenvolvimento para toda região”, comentou Carla.

Witzel também destacou suas pretensões em relação à segurança do Estado. Ao cumprimentar o comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM), tenente-coronel Fabiano Santos, o governador ressaltou a importância do papel da Polícia Militar no combate à criminalidade.

“O trabalho da Polícia Militar (PM) às vezes é mal compreendido. A nossa Polícia Militar tem oficiais e praças de alto nível de preparação e tem prestado serviço excepcional ao Estado. É preciso ter um comando que entenda o trabalho da Polícia Militar tanto que nós fizemos com que a Secretaria de Polícia Militar fosse uma realidade. Eles, os policiais, são nosso anteparo e estão aí dispostos a morrer por nós. Nossa Polícia Militar não é a polícia que mata e sim é a que defende a nossa liberdade. É o nosso anteparo contra o crime organizado”, afirmou Witzel, que afirmou ainda que irá apresentar uma nova proposta para estruturação da Polícia Civil.


 

Mais lidas do mês