Mídias Sociais

Política

Depois de articulação de deputado federal da região, ANTT retira restrições de tráfego de caminhões na Ponte Rio-Niterói

Avatar

Publicado

em

 

Para tentar minimizar os impactos da pandemia do coronavírus na economia, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), publicou, nesta quarta-feira, 1 de abril, uma resolução derrubando as restrições de acesso de veículos de carga na Ponte Rio-Niterói.

Segundo a ANTT, o objetivo é garantir o abastecimento do país no período de emergência de saúde pública em função da pandemia. A nova norma suspende a proibição de uma resolução de 2007 que restringia o fluxo de caminhões na ponte para otimizar o tráfego de veículos em uma das principais vias de ligação entre a capital fluminense e o interior do Estado através da BR-101.

A resolução da ANTT foi movida por ofício do deputado federal Felício Laterça (PSL-RJ) à Polícia Rodoviária Federal (PRF) comunicou a agência reguladora, permitindo a nova resolução que flexibiliza o tráfego de caminhões pela ponte até o dia 30 de abril.

Em vídeo publicado em sua página do Facebook, o deputado federal comemorou a decisão da ANTT e reforçou os impactos positivos da medida para a economia do Estado do Rio e do país.

“Quero dizer que foi uma vitória nossa. Oficiamos a Polícia Rodoviária [Federal], na pessoa do superintendente [Silvinei] Vasques, aqui no Rio de Janeiro, e ele, prontamente, mandou a equipe analisar, mandou para a ANTT, e houve a liberação do tráfego da ponte. Com isso, você tem uma viagem mais curta, uma viagem mais segura, não precisa ficar exposto nessa Niterói-Manilha. Economia para o caminhoneiro, economia para o dono da transportadora”, celebrou Felício Laterça.

Apesar dos esforços em prol da economia, o deputado federal aliado do governo Bolsonaro preferiu o meio termo no texto escrito no título da postagem do vídeo em suas redes sociais, reforçando a importância das orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Devemos sim preservar as recomendações da OMS de combate e proteção ao contágio, mas o país possui outras frentes que também estão sofrendo, uma das mais preocupantes, é a economia. A abertura da ponte visa dar um suporte aos caminhoneiros que precisam seguir viagem e dar mais chances ao país de vencer essa pandemia!”, escreveu o ex-chefe da Polícia Federal em Macaé.

A medida da ANTT também foi comemorada pela Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan), lembrou que a liberação do tráfego de caminhões pela Ponte Rio-Niterói sem restrição de horários atende a um dos pontos do Programa Resiliência Produtiva Firjan para garantir o abastecimento do país nesse período de emergência de saúde pública.

“Essa resolução está alinhada ao pleito da Firjan. É fundamental a  livre circulação de caminhões nesse momento, em especial, como facilitador do abastecimento a toda população. A medida está na mesma linha da suspensão do decreto de restrições à circulação de veículos de carga na capital fluminense e vem auxiliar o provimento”, avaliou o gerente de Infraestrutura da Firjan, Isaque Ouverney.

Com a nova resolução da ANTT, os caminhões estão liberados até o dia 30 de abril para trafegar na Ponte Rio-Niterói e seus acessos e também na BR-101, desde que respeitem as regras de dimensão e peso do veículo, bem como as de segurança no transporte de produtos perigosos.

No vídeo publicado por Felício Laterça, a chefe da ponte, policial rodoviária federal Renata Dutra, ressaltou a importância da PRF na obtenção da decisão da ANTT, mas reforçou que a decisão vale para caminhões acima de 2 eixos, mas que não inclui veículos com dimensões excedentes, nem veículos de transporte de cargas consideradas perigosas.

“Esse é mais um esforço da PRF, um esforço importante para a gente ajudar o caminhoneiro, ajudar quem está transportando todos os bens de consumo que os brasileiros compram, ajudando a economia. Então a PRF empreendeu esforços, realmente foi uma medida que foi tomada com o máximo de celeridade possível, que a gente entende ser uma medida importante. O que eu gostaria de frisar é que os caminhões que transportam produtos perigosos continuam com as mesmas restrições de antes. E também os veículos com dimensões excedentes também continuam com as mesmas restrições de antes. Essa medida é para os caminhões acima de 2 eixos, não tem mais horários de restrição até o dia 30 de abril, a princípio”.

De acordo com a antiga resolução, de 2007, caminhões só podiam circular na Ponte Rio-Niterói em horários controlados, com veículos de 2 eixos proibidos de circular entre 4h e 10h, e veículos maiores proibidos de circular entre 4h e 22h.

Segundo reportagem da Agência Infra, o documento da PRF à ANTT relatava que, durante o tempo de espera dos horários da antiga resolução, os caminhoneiros ficavam sujeitos a saques já que os chamados estabelecimentos “lindeiros” se encontram fechados devido às medida de isolamento social impostas como prevenção ao novo coronavírus.

Ainda de acordo com a Agência Infra, a Ecoponte, empresa concessionária responsável pela administração da Ponte Rio-Niterói, foi consultada pela ANTT e concordou com as novas medidas de flexibilização do tráfego de caminhões.

“Estamos aqui para vocês caminhoneiros, para vocês donos de transportadora, para você do frete. Liberação até 30 de abril, em princípio, liberação de passagem pela ponte, exceto produtos perigoso”, reforçou Felício Laterça no vídeo, ao lado dos policiais rodoviários federais, Renata Dutra e Francisco Paulo, que passou a demanda ao deputado.

Mais lidas da semana