Mídias Sociais

Caderno D

Com número mínimo de vereadores, Câmara de Macaé realiza sessão extraordinária para votação de requerimentos e indicações

Avatar

Publicado

em

 

Devido ao grande número de proposições, Câmara aprovou sessões extraordinárias nas últimas segundas-feiras de cada mês

 

Tunan Teixeira

 

Com mais de duas mil proposições protocoladas na secretaria desde janeiro deste ano, quando começou o novo mandato 2017-2020, a Câmara Municipal de Macaé realizou uma sessão extraordinária nesta segunda-feira, 27, para votar exclusivamente requerimentos e indicações dos parlamentares.

Em pouco mais de duas horas, já que a sessão começou com uma hora de atraso, foram votados e discutidos 45 requerimentos e duas indicações, dos 10 vereadores presentes à sessão, que começou com apenas 9 vereadores, às 11h, e terminou às 13h20.

Como de praxe, foram votadas apenas matérias dos vereadores presentes, com destaque para as proposições dos vereadores Marcel Silvano (PT), Neto Macaé (PTC), Marvel (REDE) e Julinho do Aeroporto (PMDB), os que mais tiveram proposições votadas na sessão desta segunda.

Ao todo, foram discutidos e votados 10 requerimentos de Neto, 10 de Marvel, 9 de Marcel, 8 de Julinho, 4 de Val Barbeiro (PHS), 1 de Dr. Eduardo Cardoso (PPS), 1 de Dr. Luiz Fernando (PTdoB), 1 de Luciano Diniz (PMDB), e 1 de Dr. Márcio Bittencourt (PMDB), além de uma indicação de Diniz, e outra de George Jardim (PMDB).

Os temas dos debates foram os mais variados, passando por saúde, educação e segurança pública, obras de infraestrutura e saneamento, e as sempre polêmicas Emendas Parlamentares Impositivas (EPIs), que geraram muitas críticas ao Secretário de Educação e vereador licenciado, Guto Garcia (PMDB).

“Nós estamos pedindo informações sobre as emendas impositivas da educação que não foram cumpridas. Emendas impositivas essas que eu votei contra, por entender que é um contrassenso com a democracia haver um instrumento de imposição. Para que serve as 1.100 indicações que estão nesta Casa então? Mesmo assim, nós fizemos as emendas juntamente com os próprios servidores, técnicos da educação e as escolas; não tem nada demais nelas. São, em sua maioria, emendas para a compra de equipamento multimídia (computadores, projetores e telas de projeção) para as escolas do município. Estamos mais uma vez reclamando das mesmas coisas, pedindo coisas simples que não são atendidas. E nem precisa atender, desde que a prática seja melhorar as salas de aula”, criticou Marcel.

O assunto, dessa vez, mexeu com os brios do Presidente da Câmara, Dr. Eduardo, que pela primeira vez falou em retaliações contra projetos de determinadas secretarias que continuarem descumprindo a lei ao não realizar as EPIs.

“O secretariado do (Prefeito) Aluizio não gosta de vereador. Esse Secretário de Educação não é vereador não. Ele caiu aqui pó acaso. Não é como a mãe dele, que foi uma grande vereadora. Ele nem gosta disso. Nunca quis ser vereador. E tem muito secretário que acha que elegeu Aluizio. Não elegeu não. Aluizio se elegeu sozinho, nas duas vezes. Desses todos, só tem 1 ou 2 que conseguem voto. Basta olhar quantos concorreram e quantos estão aqui. Eles precisam respeitar mais a Câmara de Vereadores. Ou a gente pode endurecer um pouquinho. Vamos deixar de votar também matérias dessas secretarias. A gente deixa aqui na Casa uns 5 ou 6 meses e vamos ver. Quem sabe assim eles não passam tratar a Câmara com mais respeito?”, disparou Dr. Eduardo.

 

Mais lidas do mês