Mídias Sociais

Política

Com 13 vereadores de partido novo, Câmara de Macaé aprova realização de sessões por videoconferência

Avatar

Publicado

em

 

A Câmara Municipal de Macaé voltou a se reunir na manhã desta segunda-feira, 13, em sessão extraordinária, para apreciar uma resolução da mesa diretora sobre a realização de sessões por videoconferência no Legislativo macaense.

De acordo com o presidente da Casa, vereador Dr. Eduardo Cardoso (PODE), a medida é necessária devido à normatização do Regimento Interno (RI), que considera válidas apenas as sessões realizadas no plenário da Câmara.

A proposta foi votada em regime de urgência devido à uma emenda do vereador Marcel Silvano (PT), aprovada no início da sessão, após breve debate e consequente aprovação de nova sessão extraordinária após a primeira, para apreciação de projeto de lei do prefeito Dr. Aluizio (PSDB).

A sessão extraordinária desta segunda contou com o retorno dos vereadores Guto Garcia (PDT) e George Jardim (PSDB), que se desincompatibilizaram dos cargos de secretários municipais nas pastas, respectivamente, de Educação, e de Agroeconomia.

Sem muitos debates, a não ser a respeito da emenda do vereador petista, os parlamentares aprovaram a proposição, autorizando a Câmara a realizar as sessões plenárias de maneira virtual, como já acontece na Câmara Federal, no Senado e na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj).

Janela partidária – A 1ª sessão após o fim da janela partidária, que se encerrou no último dia 3 de abril, também marcou o troca-troca de legenda de diversos parlamentares visando as eleições municipais de outubro desse ano. E com mudanças significativas.

A principal delas foi o desaparecimento do MDB da Casa, antes maioria no Legislativo macaense, e que viu, pelo menos na cidade, a tão anunciada debandada que já vinha sendo alardeada desde a prisão de seus principais nomes no Estado, casos do ex-presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (MDB-RJ), e dos ex-governadores do Rio, Sérgio Cabral Filho (MDB) e Pezão (MDB).

Após a janela partidária, a maioria da Câmara de Macaé pertence agora ao CIDADANIA, do deputado estadual Welberth Rezende, que agora tem os vereadores Alan Mansur (ex-REPUBLICANOS), Cristiano Gelinho (ex-PTC), Dr. Márcio Bittencourt (ex-MDB), e Dr. Luiz Fernando (ex-PTC).

De forma surpreendente, porém, o partido perdeu seu principal nome da Casa, o do presidente Dr. Eduardo Cardoso, que agora estará nas fileiras do partido do senador Romário (PODE), e do deputado estadual Bebeto (PODE).

O CIDADANIA divide a maioria da casa com o PSDB, do prefeito Dr. Aluizio, que recrutou também os vereadores Julinho do Aeroporto (ex-MDB), George Jardim (ex-MDB), Paulo Antunes (ex-MDB), e Val Barbeiro (ex-PODE).

Outros parlamentares a aproveitarem a janela partidária, foram Guto Garcia, que migrou para o partido comandado em Macaé pelo ex-prefeito Riverton Mussi (PDT), desafeto político do atual prefeito; e Renata Paes, que trocou o partido do governador Wilson Witzel (PSC) pelo dos prefeitos de Quissamã, Fátima Pacheco (DEM), e de Cabo Frio, Dr. Adriano (DEM), e dos presidentes da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Ainda entre os vereadores que trocaram de partido, estão José Prestes (ex-CIDADANIA), e Robson Oliveira (ex-PSDB), que foram para o PTB. As exceções, que se mantiveram nos partidos pelos quais foram eleitos na última eleição municipal, em 2016, foram apenas Cesinha (PROS), Marcel Silvano (PT), Marvel (REDE), e Maxwell Vaz (SOLIDARIEDADE).

Mais lidas da semana