Mídias Sociais

Política

Cidades da Região dos Lagos e do Norte Fluminense permanecem em alerta, mas sem casos confirmados de coronavírus

Avatar

Publicado

em

 

Apesar do aumento do número de casos em todo o país, saltando de 301 para 350 em menos de 24 horas, segundo dados das secretarias estaduais de Saúde, as cidades da Região dos Lagos e do Norte Fluminense seguem sem casos confirmados até a manhã desta quarta-feira, 18.

Municípios como Quissamã e Casimiro de Abreu, ainda não divulgaram se há casos suspeitos nas duas cidades, mas municípios como Macaé, São João da Barra e Campos dos Goytacazes, somam mais de 20 casos suspeitos da doença.

Nesta terça-feira, 17, a Prefeitura de Rio das Ostras negou que haja casos suspeitos de coronavírus no município, explicando que, de fato, uma idosa de idade não divulgada foi atendida na unidade de Estratégia de Saúde da Família (ESF) do bairro Cláudio Ribeiro, mas que a paciente teve o coronavírus descartado pelos profissionais de saúde da unidade.

“Ela, que tem imunidade baixa, foi consultada por uma médica da família e um infectologista por conta dos sintomas de gripe. Após análise dos profissionais, o caso não configura como suspeito em relação ao coronavírus. Devido ao seu quadro de baixa imunidade, a paciente foi encaminhada ao Pronto-Socorro para receber os cuidados médicos emergenciais necessários”, divulgou a Prefeitura de Rio das Ostras nesta terça, sem, no entanto, explicar se foi realizado qualquer exame para descartar a doença.

Somando ainda os municípios vizinhos da região, de São Francisco de Itabapoana, São Fidélis, Santo Antônio de Pádua e Itaocara, aumentam os números de casos suspeitos na região para mais de 20 incidências.

No Estado do Rio, Até esta terça-feira, a Secretaria Estadual de Saúde havia confirmado 33 casos da doença, e mais 859 casos suspeitos sendo investigados, entre eles o de um homem de 69 anos que estava internado no Hospital Icaraí, em Niterói, desde o dia 11 de março, e faleceu na noite desta terça depois de desenvolver pneumonia e insuficiência respiratória aguda.

Oficialmente, o Estado do Rio tem 1 caso de coronavírus confirmado em estado “gravíssimo”, de outro homem, de 65 anos, internado em um hospital da rede privada, na capital fluminense.

Em Campos, a Vigilância em Saúde informou que acompanha 2 casos suspeitos, cujos resultados dos exames ainda não foram divulgados, e revelou que ambos os pacientes não apresentam sintomas, mas continuam em isolamento domiciliar.

“Uma mulher, que também havia passado pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) neste domingo, 15, foi atendida na Unidade Pré-Hospitalar (UPH) de Guarus, mas a paciente não se enquadra na definição de caso suspeito, conforme estabelece Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde. Contudo, a Secretaria de Saúde segue monitorando o caso assim como todos os pacientes atendidos pela rede de municipal”, informou a pasta, em nota, ao portal Folha1.

Em São João da Barra, a prefeitura também monitora 2 casos suspeitos de coronavírus, de pacientes que teriam vindo do Rio de Janeiro e teriam apresentado sintomas leves, mas estão em casa, e o município também espera os resultados dos exames para dar mais detalhes.

Na manhã desta quarta-feira, 18, a Prefeitura de Macaé informou que o número de casos suspeitos de coronavírus na cidade passou de 10 para 17 em apenas 2 dias, e que o de casos descartados subiu de 3 para 6 casos no mesmo período, mas ratificou que nenhum caso foi confirmado pelos órgãos de saúde.

De acordo com levantamento feito pelo jornal Folha de São Paulo, em apenas 20 dias após a confirmação do 1º caso, a Itália tinha apenas 3 casos confirmados, enquanto o Brasil já tem 291 casos confirmados oficialmente pelo Ministério da Saúde nos mesmos 20 dias após o chamado paciente 1, número menor do que os divulgados pelas secretarias estaduais de Saúde em todo o país.

No país europeu, que enfrenta um colapso da rede de saúde, em 23 dias, o número de casos confirmados subiu para 155 e 3 mortes, chegando a mais de mil casos confirmados e 29 mortes entre os dias 29 e 30 após o paciente 1. Atualmente, a Itália possui mais de 31 mil casos confirmados da doença.

Mais lidas da semana