Mídias Sociais

Política

Cidades da Região dos Lagos e do Norte Fluminense apresentam crescimento populacional desde 2010

Avatar

Publicado

em

 

Segunda cidade mais populosa da região, Macaé continuou recebendo novos moradores mesmo depois de estourar a crise internacional do petróleo, em meados de 2014

Na última quarta-feira, 29, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou uma atualização com a estimativa da população de 5.570 municípios brasileiros, trazendo uma taxa de crescimento populacional de cerca de 0,82% entre 2017 e 2018.

Com dados de referência de julho deste ano, os números mostram que as cidades da Região dos Lagos e do Norte Fluminense, que sofrem com o aumento do desemprego provocado pela crise internacional do petróleo, em meados de 2014, continuam crescendo em termos populacionais.

Com a crise razoavelmente controlada e o setor de óleo e gás vislumbrando um momento de retomada, com o sucesso dos leilões do pós-sal e do pré-sal, desde o ano passado, cidades como Macaé, cidade que concentra maior parcela das empresas do setor no interior do estado, podem voltar a investir em melhorias, como a construção de 4 unidades de saúde, das quais uma já foi entregue e outras 3 seguem com as obras em ritmo acelerado.

No caso da Capital Nacional do Petróleo, por exemplo, os dados são importantes para que a população possa entender uma conta simples, mas que frequentemente é usada politicamente para um lado ou para outro, dependendo do interesse de cada político, principalmente nesse momento em que o país entra definitivamente em processo eleitoral.

Apesar do orçamento do município ter voltado a casa superior aos 2 bilhões de reais em 2018, a população de Macaé foi uma das que mais cresceram nos últimos 8 anos, saltando de pouco mais de 206 mil habitantes para um número estimado de mais de 251 mil pessoas na cidade. Ou seja, se a população aumenta, isso significa que o governo municipal precisa investir em proporcionar mais serviços às pessoas, o que a atual gestão vem se esforçando para conseguir.

Desde o Censo de 2010 até este ano, a população da Capital Nacional do Petróleo cresceu 21,72%, sendo a terceira na região que mais cresceu, atrás apenas das vizinhas Rio das Ostras, que apresentou crescimento de 38,14%, e de Casimiro de Abreu, que cresceu 22,48%.

Enquanto Rio das Ostras viu sua população saltar de 105.676 para 145.989 habitantes, Casimiro saiu de 35.347 para 43.295 habitantes num período de 8 anos. Com o salto populacional, Rio das Ostras ultrapassou Araruama, que tem população estimada em 130.439 habitantes, e se tornou a 4ª cidades mais populosa da região, atrás apenas de Campos dos Goytacazes, Macaé e Cabo Frio.

Neste mesmo período, Armação dos Búzios superou a vizinha Arraial do Cabo, que cresceu apenas 8,59%, chegando a 30.096 habitantes. Desde 2010, ano do último censo demográfico brasileiro, um dos principais balneários turísticos do estado e até do país, Búzios saltou de 27.516 para 33.240 habitantes, se aproximando de São João da Barra, que tem população estimada em 36.138 habitantes.

Mesmo com o Porto do Açu, o pequeno município do Norte Fluminense teve crescimento populacional de apenas 10,35% nesses 8 anos, e mesmo assim, acima do crescimento de Campos dos Goytacazes, que viu seus habitantes crescerem 8,55% no mesmo período. Confira os números da região na tabela abaixo.

Crescimento Populacional da Região

CIDADES                 2018                2010                Crescimento

Campos                      503.424           463.731           39.693 (8,55%)

Macaé                         251.631           206.728           44.903 (21,72%)

Cabo Frio                   222.528           186.227           36.301 (19,49%)

Rio das Ostras           145.989           105.676           40.313 (38,14%)

Araruama                    130.439           112.008           18.431 (16,45%)

São Pedro da Aldeia  102.846           87.875             14.971 (17,03%)

Casimiro de Abreu     43.295             35.347             7.948   (22,48%)

São João da Barra      36.138             32.747             3.391   (10,35%)

Armação dos Búzios 33.240             27.516             5.724   (20,80%)

Arraial do Cabo          30.096             27.715             2.381   (8,59%)

Iguaba Grande           27.762             22.851             4.911   (21,49%)

Quissamã                    24.246             20.242             4.004   (19,78%)

C. de Macabu             23.064              21.211             1.853   (8,73%)

Carapebus                   16.039             13.359             2.680   (20,06%)

Mais lidas do mês