Mídias Sociais

Política

Campanha da Prefeitura de Macaé visa para combater o assédio às mulheres, que cresce no Carnaval

Publicado

em

Objetivo da ação é conscientizar moradores e turistas sobre os direitos da mulher. 

Em mais uma ação de enfrentamento à violência contra a mulher, o Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM) de Macaé, órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Acessibilidade, lançou na última quinta-feira, 8, uma campanha de conscientização contra o assedio à mulher no Carnaval.

Utilizando como slogan da campanha a frase “não é não”, criada em uma campanha de financiamento coletivo, que produziu 25 mil tatuagens temporárias com os dizeres, a ação do CEAM de Macaé ocorrerá durante o Baile de Carnaval da Guarda Sênior, a partir das 15h, na praça Veríssimo de Melo, no centro da cidade.

De acordo com a coordenadora do CEAM, Jane Roriz, a população irá receber orientações e folhetos explicativos com frases como “minha folia, minhas regras” e “todos juntos por um Carnaval sem assédio”.

“Acreditamos que a violência é um fenômeno da sociedade, e tem muito impacto na vida das brasileiras. Por conta do machismo, a mulher ainda é a maior vítima de violência e isso precisa mudar”, disse Jane Roriz.

A coordenadora, que faz um trabalho exemplar à frente do órgão, responsável, entre outras ações, pela implantação em Macaé da Patrulha Maria da Penha, lembra que as denúncias de assédio contra a mulher durante o Carnaval aumentam significativamente.

“O Carnaval é um momento de diversão e Macaé hoje resgata uma antiga tradição, que é o Carnaval de Rua. E é importante alertar os foliões de que depois do ‘não’ é tudo assédio”, alerta Jane Roriz.

De acordo com a prefeitura, as mulheres que se sentirem violadas podem fazer as denúncias pelo telefone 180 ou podem acionar a Patrulha Maria da Penha pelos telefones 0800 282 2108, (22) 99707-2085 e (22) 2796-1328, que funcionam 24 horas.

Aprovada pela Câmara Municipal de Macaé no dia 8 de março de 2017, Dia Internacional da Mulher, a lei que institui a Patrulha Maria da Penha garante uma viatura disponível 24 horas por dia para atender às mulheres vítima de violência no município.

Além disso, as mulheres que se sentirem vítimas de violência também podem procurar o CEAM, que atende de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na Rua São João, 33, no centro da cidade, ao lado da Delegacia Legal da Polícia Civil.

Tunan Teixeira

Foto: Reprodução

Mais lidas do mês